Seguidores

quinta-feira, 9 de janeiro de 2020

Roda de Glosas



*
1
2
3
4
6
7
8
9

segunda-feira, 6 de janeiro de 2020

Mote: OFERTE A OUTRA O ANDOR POIS SOU APENAS TROCISTA














OFERTE A OUTRA O ANDOR
POIS SOU APENAS TROCISTA.
*
DALINHA CATUNDA
Já andei curtindo a vida
Do jeito que me aprazia
Tive dias de alegria
E disso nem Deus duvida
Despachada e atrevida
O meu choro é de artista
A minha cena é prevista
E meu senso é burlador.
OFERTE A OUTRA O ANDOR
POIS SOU APENAS TROCISTA.
*
BASTINHA JOB
Se tenho os pés de barro
Tenho também santo forte
Que aponta sempre o meu norte
Da direção não desgarro
Pego com força e me agarro
E me equilibro na pista
O meu lado de humorista
Faz meu estro gozador
OFERTE A OUTRO O ANDOR
POIS SOU APENAS TROCISTA
*
DALINHA CATUNDA
Nem solteira nem casada
Porém tenho companheiro
Que me segurou ligeiro
Hoje estou bem amarrada
Não assinei papelada
Nem contratei retratista
De santinha não me vista
Rasguei o véu do pudor
OFERTE A OUTRA O ANDOR
POIS SOU APENAS TROCISTA.
*
mote de Dalinha Catunda

quinta-feira, 2 de janeiro de 2020

A DUPLINHA


A DUPLINHA
*
BASTINHA JOB
Você poetou demais
Falou com sabedoria
Sofisma não teve vez
Nem misturou fantasia
Uma verve que abunda
Só a Dalinha Catunda
Faz assim com maestria.
*
DALINHA CATUNDA
Não sei se é boataria
Pois falam que sou versada
Que não quebro o pé do verso
E que arraso na glosada
Mas quem faz isso é Bastinha
Nela se espelha Dalinha
Pra ficar mais preparada.
*

MOTE: DECLARA GUERRA CANTANDO A QUEM NÃO SABE CANTAR



Poetas Glosando o mote de:
Júnior Monteiro
*
DECLARO GUERRA CANTANDO
A QUEM NÃO SABE CANTAR
*
SILVANO LYRA
Usando as armas da paz
Desempenho o meu papel
Todo falso menestrel
Treme terra até demais
Num terremoto ele jaz
Para não mais se gabar
Meu perdão pra conquistar
Não consegue bajulando
DECLARO GUERRA CANTANDO
A QUEM NÃO SABE CANTAR.
*
DALINHA CATUNDA
Tem bardo que só amola
Quando vai pra cantoria
Não entende de porfia
Inda se mete a gabola
Mas na contenda se atola
Sem conseguir agradar
Eu tento me controlar
Porém acabo mangando:
DECLARO GUERRA CANTANDO
A QUEM NÃO SABE CANTAR
*
BASTINHA JOB
Começo o NOVO ANO
glosando Júnior Monteiro
Com um mote bem brejeiro
Com a Lira de Silvano
Dalinha seguiu o plano
Pois sabe muito glosar
Me meto e vou endossar
E o recado vou mandando:
DECLARO GUERRA CANTANDO
A QUEM NÃO SABE CANTAR.
*
CARLOS AIRES
Bem no começo do ano
Chega um mote criativo
Que até já deu incentivo
A Dalinha e a Silvano
Bastinha Já está no plano
E a esses vou me juntar
E logo pra começar
É que eu estou avisando
DECLARO GUERRA CANTANDO
A QUEM NÃO SABE CANTAR.
*
DIDEUS SALES
Se demonstrar humildade,
Sou brando, gentil e leve,
Mas se o cantador se atreve
Me agredir, sem piedade
Bato com tanta vontade
Que me esqueço de parar,
Pra quando ele me olhar
Ficar logo se lembrando:
Declaro guerra cantando
A quem não sabe cantar.
*
ANTÔNIO CASSIANO
No cordel ou no repente
Meu verso é faca afiada
É historia bem contada
Que prende atenção de gente
É dor que maltrata o dente
É o barulho do mar
Trovão e o relampejar
É a estrela piscando
DECLARO GUERRA CANTANDO
A QUEM NÃO SABE CANTAR
*

MOTE: Vejo muito puxa saco, de quem tem pouco talento

DALINHA CATUNDA
Eu vou montar no seu mote
Em cima dele glosar,
Rimar e metrificar,
Sem descompassar meu trote.
Vou lhe pegar no pinote,
Com o meu atrevimento,
E dizer nesse momento:
Sou lenha e você cavaco!
VEJO MUITO PUXA SACO
DE QUEM TEM POUCO TALENTO.
*
BASTINHA JOB
Glosar um mote assim
Com clareza, com cadência
Dalinha, com consciência,
Fez começo, meio e fim:
Num País tupiniquim
Lyra com discernimento,
Do mote fez instrumento
Toca direto no fraco:
VEJO MUITO PUXA SACO
DE QUEM TEM POUCO TALENTO!

*
VEJO MUITO PUXA SACO
DE QUEM TEM POUCO TALENTO.
Mote de Silvano Lyra

Glosas de Dalinha Catunda e Bastinha Job

quarta-feira, 1 de janeiro de 2020

SINTO_ME ILUMINADA NO MUNDO DA POESIA


SINTO-ME ILUMINADA
NO MUNDO DA POESIA
*
Desde sempre faço versos
De minha mãe sou herdeira
Nunca esquentei a moleira
Para entrar nesse universo
Mas encaro o adverso
P’ra manter minha alegria
Nesse mundo de magia
Eu já sou considerada:
SINTO-ME ILUMINADA
NO MUNDO DA POESIA
*
JOSÉ DANTAS
Um MUNDO que admiro,
que me encanta e me fascina,
uma luz me ilumina
e de pronto me inspiro,
viajo, busco e retiro,
para minha garantia,
o que me traz alegria
e me faz realizado.
SINTO-ME ILUMINADO
NO MUNDO DA POESIA.
*
BASTINHA JOB
Dalinha fez esse mote
Para o poeta glosar
Em dez versos derramar
Sem deixar cair o pote;
Nem tampouco passar trote
Evitar disritmia;
Estrofe sem harmonia
Não dá pra ser escutada
" SINTO-ME ILUMINADA
NO MUNDO DA POESIA"
*
DALINHA CATUNDA
Quando a musa me desperta
E assopra aos meus ouvidos
Ligo todos meus sentidos
Minha mente fica esperta
A vontade em mim aperta
Isso é quase todo dia
Versejo sem agonia
Cada vez mais animada
SINTO-ME ILUMINADA
NO MUNDO DA POESIA
*
JOSÉ DANTAS
Eu disse para Dalinha,
desenvolva esse seu mote,
minha sugestão adote,
que eu vou na sua linha,
faça a sua, faço a minha,
estrofe com harmonia,
quem sabe, se inspira e cria,
faz todo verso inspirado.
SINTO-ME ILUMINADO
NO MUNDO DA POESIA.
*
VÂNIA FREITAS
É com lápis e papel
Que desenho minha arte
Tento fazer minha parte
Neste mundo de cordel
Se meu verso não tem mel
Mas tem minha fantasia
Que mudo com a luz do dia
Deixa-me mais animada
Sinto-me iluminada
No mundo da poesia.

*
Mote e foto de Dalinha Catunda

EM NOME DA MUSA - A DUPLINHA


EM NOME DA MUSA
*
BASTINHA JOB
Que Erato te inspire
Toda hora, todo instante
Que até a Musa te inveje
Por tua rima soante
E que todo o teu Cordel
Tenha docinho de mel
E o raio do sol brilhante.
*
DALINHA CATUNDA
Sinto-me iluminada
No mundo da poesia
A musa que me inspira
Preenche-me de alegria
Caminhando com Bastinha
Nunca vou perder a linha
Do canto que contagia.
*
BASTINHA JOB
A sua estrela guia
Não vai jamais se apagar
Esse Ano que termina
Ao outro vai entregar
O estro que tem a Musa
Que você usa e abusa
Tempo algum vai lhe faltar.
*
DALINHA CATUNDA
Espero que minha sorte
Abrace o que você diz
Pois tecendo poesia
Sinto-me muito feliz
Assim levanto a bandeira
Da mulher que é fiandeira
Fiando a sua raiz.
*
Fotos de Dalinha Catunda.