Seguidores

quinta-feira, 21 de junho de 2018

“QUEM DIZ O QUE QUER...”


“QUEM DIZ O QUE QUER...”
*
Sou mulher bem resolvida
Sei como me comportar
Conforme cada lugar
E disso ninguém duvida
Mas fico puta da vida
Quando vejo barraqueira
Achando que está na feira
E dispara em falação
Sem respeito e sem noção
Mostrando o que é ser grosseira.
*
Versos e foto de Dalinha Catunda

domingo, 17 de junho de 2018

UM BOM DINHEIRO PERDEU/QUEM POR BESTA ME COMPROU.


UM BOM DINHEIRO PERDEU
QUEM POR BESTA ME COMPROU.
*
Quem pensou que ia montar
E botar cangalha em mim
Botei pra lamber capim
Quando arriscou me laçar
Fiz o cabra escorregar
E cair quando tentou
No cabresto inda pegou
Mas do meu coice correu.
UM BOM DINHEIRO PERDEU
QUEM POR BESTA ME COMPROU.
*

Foto mote e glosa de Dalinha Catunda

quinta-feira, 14 de junho de 2018

A REVOLTA DE SANTO ANTÔNIO


A REVOLTA DE SANTO ANTÔNIO
*
Santo Antônio aperreou-se
E sentiu-se até perdido
Quando viu tanta mulher
Todas querendo marido:
- Uma coisa vou dizer
Não sei o que vou fazer
Em meio a tanto pedido.
*
Ficou logo revoltado
E falou para Jesus
Eu não aguento mais
O peso da minha cruz
Ser santo casamenteiro
E com todo esse salseiro
Vos digo: Não me seduz.
*
Jesus Cristo preocupado
Com aquela situação
Disse para Santo Antônio
É só sua essa missão
Mas pode no céu buscar
Uns Santos pra lhe ajudar
Eu não faço objeção.
*
Santo Antônio se alegrou
Começou a organizar
As virgens ele casaria
Isso não ia mudar
Delas ele tinha dó
Deixá-las no caritó
Não dava nem pra pensar.
*
Falou com o São Gonçalo,
E Com São Judas Tadeu
Achou por bem convidar
São Jorge o amigo seu
Nessa mesma ocasião
Fez a distribuição
Com o aval que Jesus deu.
*
As chamadas periguetes
São Gonçalo vai casar
Também as raparigueiras
Que gostam de badalar
Pois é santo violeiro
Em cabaré ou terreiro
Ele não paga pra entrar.
*
Já o São Judas Tadeu
É com as tribufus que fica
Santo das causas perdidas
Já casou baranga rica
E as donas sem embaraço
Que já não tem mais cabaço
E gostam mesmo é de pica.
*
Para São Jorge Guerreiro
Com sua espada na mão
Ele fica responsável
Por todo e qualquer canhão
Pelas mocreias da vida
Que o pessoal apelida
As coitadas de dragão.
*
Eu acho que Santo Antônio
Abusou da rebeldia
E mesmo estando irritado
Com penas que recebia
De tanto ser afogado
Devia estar conformado 
E com a cabeça fria.
*
Não pedi licença a musa
Mas a Deus peço perdão
Por esses versos que fiz
Com tanta profanação
Não me queimem na fogueira
Foi só uma brincadeira
Sem reza e sem oração.
*
Versos e foto de Dalinha Catunda

quarta-feira, 13 de junho de 2018

SONETILHO DE AMOR

SONETILHO DE AMOR
*
Às vezes sou lua
Que nua vagueia
A todos enleia
Porém sou só sua.
*
Ás vezes sou sol
Trazendo calor
Derreto de amor
Em nosso lençol.
*
Às vezes sou brisa
Que ofega em seu rosto,
ladina lhe alisa.
*
E sempre sou nós
Depois do sol posto
Juntinhos e a sós...
*
Versos e foto de Dalinha Catunda

terça-feira, 12 de junho de 2018

VÉI SÓ PRESTA PRA PEIDAR E FAZER MEDO A MENINO.


VÉI SÓ PRESTA PRA PEIDAR
E FAZER MEDO A MENINO.
*

Eu já perto de oitenta
Casei com uma de vinte
Mais aí foi o seguinte
Na hora que a coisa esquenta
O velho peleja, tenta
Porém não levanta o pino
Tudo é coisa do destino
Diz o dito popular
VÉI SÓ PRESTA PRA PEIDAR
E FAZER MEDO A MENINO
*
O homem quando envelhece
Paga o que tem de pecado
O pinto fica arriado
O saco engelhado desce
Sendo assim ele padece
Vivendo esse desatino
Não controla o intestino
E ainda tem que escutar:
VÉI SÓ PRESTA PRA PEIDAR
E FAZER MEDO A MENINO.
*
Mote de Dão de Jaime


QUER SER MEU NAMORADO?


QUER SER MEU NAMORADO?
*
Abrace-me novamente,
Dê-me flores de presente,
Que lhe aguardo no portão.
Faça versos e seresta
Quando me vir faça festa
Que lhe dou meu coração.
*
Seja o velho namorado,
Que eu já tive no passado
Segurando minha mão.
E cante a nossa cantiga
Não importa se é antiga
Provoque minha emoção.
*
Ciúme não tenha tanto
Para evitar o meu pranto,
E  pedidos de perdão.
Conserve sua gentileza,
Que prometo com certeza
Ser sua eterna paixão.
*
Versos e foto de Dalinha Catunda

Nas Trilhas da Natureza


NAS TRILHAS DA NATUREZA
*
Cada vez que atravesso
O portal da alacridade
Sigo ao toque dos bons ventos
Sorvendo simplicidade
No verde a esperança
Em cada passo a bonança
Trazendo felicidade
*
Quando sinto a natureza
Com todo seu esplendor
Num banho de cachoeira
Na presença de uma flor
Ouvindo pelos caminhos
 O canto de passarinhos
Agradeço ao criador.
*
Em minha felicidade
Eu me transformo em menina
Brinco na água da fonte
Tão fresca tão cristalina
Como sempre me encanto
Pra mamãe Oxum eu canto
A energia é divina.
*
Versos e fotos de Dalinha Catunda

terça-feira, 5 de junho de 2018

DOUTORA INTÉ OUTRO DIA


DOUTORA INTÉ OUTRO DIA
Parodiando Zé Praxedes
*
Dotoura inté outro dia
Se quiser me visitar
A choupana não é grande
Mas posso lhe acomodar
*
Pros almoço tem baião
E tem cuscuz pro jantar
Água só tem de cacimba
Pra vosmecê se banhar,
*
Um cafezinho da serra
Eu faço ao amanhecer
Com tapioca e manteiga
Pro seu desjejum fazer.
*
Caso aprecie uma pinga
Tenho a branquinha serrana
Pra sua égua mimosa
Aqui tem um mói de cana.
*
Pra vosmecê merendar
Rapadura tem um lote
Água fresca e bem coada
Pra vosmecê tem no pote.
.
Uma rede bem cheirosa
Tem pra vosmecê deitar
Só peço leve o marido
Que o meu não vou emprestar.
*
Foto e versos de Dalinha Catunda


sábado, 2 de junho de 2018

O PINTO DE DÃO

O PINTO DE DÃO
*
DÃO DE JAIME
Contratei uma pessoa 
Pra cuidar do meu pintinho 
Nunca deixar ele à toa 
Pra dar comida e carinho 
Quando o dia amanhece 
O meu pintinho entristece 
Mas ela sabe ajeitar 
Por incrível que pareça 
Alisa sua cabeça 
Pro bichim se levantar

*
DALINHA CATUNDA
Eu não posso acreditar
Nesse pinto esmorecido
E que só sendo acudido
Consegue se levantar
Eu aqui vou confessar
E não falo com desdém
Pra comer do meu xerém
Pinto tem que ser raçudo
Pois pinto fraco e miúdo
Eu prefiro ficar sem.
*
BASTINHA JOB
Dão de Jaime, seu pintinho
Tá um pouco moleirão
Precisa passar a mão
Pra ficar animadinho
Apalpar, dá um jeitinho
Para ele se alegrar
Dê-lhe cuscuz no jantar,
Logo que o dia amanheça
"Alisa sua cabeça
Pro bichim se levantar"!

*
Foto de Dão de Jaime

sexta-feira, 1 de junho de 2018

SORTILÉGIO


SORTILÉGIO
*

DALINHA CATUNDA
Quando o dia se fez noite
A lua com seu clarão
Foi tingindo a escuridão
Veio o vento feito açoite
Para fazer seu pernoite
Invadiu minha janela
O desejo se revela
A cada toque do vento
Eu sem pejo me contento
No alento que a mim se atrela.

*
JOSÉ WALTER PIRES
 Quando a noite se fez dia
E o Sol raiou no horizonte
Surgindo detrás do monte
A sua luz irradia
A mais completa alegria
No canto da passarada
Ao dar início à jornada 
Para a moça da janela
Que, suspirando, revela
A donzela apaixonada!

*
 Dalinha Catunda e José Walter

Foto do meu acervo.