Seguidores

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

APRECIANDO A NATUREZA I

APRECIANDO A NATUREZA I
O PERIQUITO
*
Aprecio o periquito
Que faz seu ninho no toco
Quando a mãe vai dar comida
Pelado mostra o pescoço
Mas depois que cria pena
Bate asa e sai do oco.
*
Versos de Dalinha Catunda

Foto: paraisodospássaros.com.br

terça-feira, 20 de setembro de 2016

A JARARACA

A JARARACA
*
Não gosto de jararaca
Mas não trato com desdém
Quando bato no seu rabo
Dou na cabeça também
Ela tem a sua manha
Atacada mostra a sanha
Enjaulada fica bem.
*
Charge Jorge Braga

Versos Dalinha Catunda

JESUS E A ESTRELA BORRADA

JESUS E A ESTRELA BORRADA
*
O povo tem na memória
Vida e morte de Jesus
Morreu pregado na cruz
Assim diz a sua história
Foi para o reino da glória
Depois da condenação
E naquela ocasião
Jesus foi acompanhado
Um ladrão de cada lado
E não com uma facção
*
Quem tem popularidade
E compara-se a Cristo
Achando que é bem quisto
Sem medir a realidade
Cai é na comicidade
E de vez se destrambelha
Mancha a estrela vermelha
Que perdeu o seu fulgor
Sem altar e sem andor
Luta por uma centelha.
*
Julga-se tão popular
Tal Jesus de Nazaré
E pra se manter de pé
Chega até a ironizar
Abre o berreiro a chorar
Para causar comoção
Mas teme ir pra prisão
Onde estão seus parceiros
Chamados de companheiros
Ligados a corrupção.
*
Vertsos de Dalinha Catunda

terça-feira, 9 de agosto de 2016

RAFAELA SILVA É OURO


RAFAELA SILVA É OURO
*
Nosso ouro é Rafaela,
Magistral em sua trilha.
É uma Silva que Brilha!
É ouro que se revela!
Ao pódio seu nome atrela,
Trazendo felicidade
Pra sua comunidade,
E para nação inteira.
Salve a menina guerreira!
Mulher de capacidade!
*
Décima de Dalinha Catunda
Foto: metropole.com 

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

NÃO TEM JEITO QUE DÊ JEITO NO SUJEITO MAL-AMADO.



NÃO TEM JEITO QUE DÊ JEITO
NO SUJEITO MAL-AMADO.
*
A pior coisa do mundo
É conviver com alguém
Que só prepotência tem
E um mau humor profundo
É um coitado no fundo
E fica evidenciado
O ser humano frustrado
Pelo capeta é eleito
NÃO TEM JEITO QUE DÊ JEITO
NO SUJEITO MAL-AMADO.
Mote e glosa de Dalinha Catunda

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

PEGA NO SERTÃO

PEGA NO SERTÃO
*
É vaqueiro é boiada
É caatinga é barbatão
É o suor escorrendo
É boi preso no mourão
É espinho de jurema
É o gemido da ema
É a saga do sertão.
*
O vaqueiro entra na mata
Campeando sai ferido
Mete a espora ganha o boi
E num aceno atrevido
Seguindo seu coração
Cavalga com emoção
Rumo ao amor proibido.
*
E depois do boi no chão
Depois da queda bendita
O vaqueiro apaixonado
Olha pra moça bonita
Apos tirar o chapéu
Pra ela entrega o troféu
Que alegre nem acredita.
*
Nas contendas do agreste
Nas pelejas do sertão
O vaqueiro aguerrido
Tem no laço precisão
Mulher só laça na manha
O boi derruba na sanha
E se sagra campeão.
*

Foto e versos Dalinha Catunda

quinta-feira, 28 de julho de 2016

QUEM SUSPIRAVA POR MIM AGORA RONCA AO MEU LADO.

QUEM SUSPIRAVA POR MIM
AGORA RONCA AO MEU LADO.

*
GREGÓRIO FILOMENO
Tem alegria e crueza
A vida que a gente passa
A juventude tem graça
A velhice tem tristeza
Quem teve tanta beleza
Ver-se agora em mau estado
Quem foi rosa no passado
Hoje é talo de capim
QUEM SUSPIRAVA POR MIM
AGORA RONCA AO MEU LADO.

*
DALINHA CATUNDA
Pois a vida é deste jeito
E não tem como negar
Quem viveu pra me amar
Continua no meu leito
Mesmo sendo bom sujeito
Ele tem me atazanado
Toda noite tem peidado
Enfestando o camarim
QUEM SUSPIRAVA POR MIM
AGORA RONCA AO MEU LADO.

*
Foto de Dalinha Catunda
Amigos, apenas uma brincadeirinha de poetas.

Não sabemos o autor do mote. Se alguém souber colocaremos a autoria.

segunda-feira, 25 de julho de 2016

DO TREM SÓ A SAUDADE

DO TREM SÓ A SAUDADE
*
Era tempo de alegria
Nos trilhos do meu sertão
O trem que ia e voltava
Carregava em seu vagão
Fantasia aventureira
A ilusão passageira
Marcando cada estação.
*
Alegria na chegada
O choro da despedida
Entre abraços e promessas
Velhos dramas da partida
No lenço a dor da saudade
Fruto da felicidade
Que o coração deu guarida.
*
O tempo se vai ligeiro
Mas o trem fica parado
A lembrança no presente
Faz o seu sacolejado
E nesse seu movimento
Transporta meu pensamento
Aos bons tempos do passado.
*

Fotos e Versos de Dalinha Catunda

domingo, 24 de julho de 2016

TEMPO NUBLADO

 TEMPO NUBLADO
*
O tempo ficou bonito
Entretanto não choveu
Torres bordavam o céu
Mas veio o vento e varreu
A chuva foi só sereno
Pra molhar o meu terreno
Com prece pouca não deu.
*
Você pegou a viola
E cantou para chover
Um coração ressequido
É duro de amolecer
Promessa nem simpatia
Trará de volta a magia
Que parou de escorrer.
*

Versos e fotos de Dalinha Catunda

sexta-feira, 22 de julho de 2016

NUNCA VI COISA MAIS LINDA!

NUNCA VI COISA MAIS LINDA!
*
LINDICÁSSIA NASCIMENTO
Nunca vi coisa mais linda
Que uma noite de luar
Duas almas, dois amores
Dois corpos presos no ar
A nudez do pensamento
Unindo um só sentimento
E a lua a enamorar.

*
DALINHA CATUNDA
Nunca vi coisa mais linda
Em noite de lua cheia
Um casal de namorados
Deitando depois da ceia
Se balançando na rede
Tacando o pé na parede
Enquanto a lua clareia.

*