Seguidores

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

UM CANTO MENOR

UM CANTO MENOR
*
Partiu a paixão
Levando a magia
Minha poesia
Soluça em vão.
*
Um choro agorento
Pranteia meu peito
Carpindo sem jeito
A dor do momento.
*
Que triste destino,
Que sorte, que fado,
Que me tira o tino
*
Livrai-me Jesus
Do amor malfadado
Do peso da cruz.
*

Foto e versos de Dalinha Catunda

ARREMEDO DE ABOIO


ARREMEDO DE ABOIO
*
A mestre Dina, licença,
Eu peço para aboiar
Fui criada no sertão
Vendo a boiada passar
Eu ficava no terreiro 
A espera do vaqueiro
Querendo lhe arremedar.
*
O meu gado não é muito
Mas da pra enfeitar o pasto
Gosto de ver a boiada
Passando e deixando o rasto
Se o vaqueiro for bonito
Esqueço o que está escrito
No laço da corda arrasto.
*
Quem me deu o boi bordado
Foi Luiz Sebastião
O bordado ganhou fama
Pras bandas do meu sertão
Cada vaca que cobria
Tirava uma boa cria
Melhorei a produção.
*
Quem quiser me comprar gado
Fiado não vendo não
Meu gado só sai do pasto
Com dinheiro em minha mão
Pois aqui na minha lista
Tem um monte de artista
Cadastrei cada enrolão.
*
Resolvi laçar um boi
Achando que era manso
Só que o boi me deu trabalho
Mas eu não lhe dei descanso
Encrenca pequena e tico
Com laço na mão não fico
Não me enfezo, nem me canso.
*
Se a vaca prender meu boi
Eu tiro ele da cadeia
Depois de afrouxar o laço
Na vaca eu meto a peia
Não sou de usar chicote
Mas fique esperta e anote
Nunca mexa em coisa alheia.
*
Se seu touro pular cerca
Eu dou capim do meu lado
Se ele gostar do meu pasto
Vou viciar o danado
E só para me exibir
Eu vou montar sem cair
Nesse seu touro abusado.
*
Versos e fotos de Dalinha Catunda

terça-feira, 10 de outubro de 2017

A ÁGUA É FONTE DE VIDA...


*
A ÁGUA É FONTE DE VIDA
NÃO DEIXE A ÁGUA MORRER!
*
BASTINHA JOB
Também nosso São Francisco
É um rio em agonia
Correndo o sério risco
De se extinguir qualquer dia,
Mataram muitas nascentes
Outros tantos afluentes
O homem fez perecer
Urge uma outra medida:
A ÁGUA É FONTE DE VIDA
NÃO DEIXE A ÁGUA MORRER!
*
DALINHA CATUNDA
Agoniza o São Francisco
Em sua degradação
O homem não tem um trisco
De conscientização
E cava a própria desgraça
Com o projeto que traça
Faz o rio fenecer
Disso nem Deus duvida:
A ÁGUA É FONTE DE VIDA
NÃO DEIXE A ÁGUA MORRER!
Mote de Bastinha Job

Foto de Dalinha Catunda

domingo, 8 de outubro de 2017

Nordestina, sim senhor!

NORDESTINA, SIM SENHOR!
*
Eu sou nordestina
Me orgulho de ser
Sou do Ceará
Com muito prazer
Não faço suspense
Sou ipueirense
Pra quem quer saber.
*
Se escuto a sanfona
Perfumo o cangote
Dançando faceira
Aguento o pinote
Pois sou dançadeira
Levanto a poeira
Capricho no xote.
*
Eu danço São João
Eu pulo fogueira
Faço simpatia
A da bananeira
Me visto de chita
Com laço de fita
Desfilo faceira.
*
Eu como cuscuz
Paçoca e baião
Como tapioca
E bife do oião
Eu como buchada
Também malassada
Sem indigestão.
*
Na rede me deito
Pra me balançar
E nesse balanço
Preciso contar
Cumprindo o destino
Eu já fiz menino
Sem punhos quebrar.
*
Eu sou ribaçã
Sou ave migrante
Sou rio que corre
Que segue adiante
Eu sou empolgada
Comigo só nada
É quem se garante.
*
Eu sou mesmo agreste
Meu nome é Dalinha
Não fujo de embate
Não fujo da rinha
Se você empaca
Não puxe sua faca
Deixe na bainha.
*

Versos e fotos de Dalinha Catunda

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

CORDEL DE SANTO ANTÔNIO DE BARBALHA


NA POSSE DA NOVA DIRETORIA DA SPB
Entre as atrações que fizeram parte da Festa de posse da nova diretoria da Sociedade dos Poetas de Barbalha, constou o lançamento do cordel coletivo: SANTO ANTÔNIO DE BARBALHA.
Esse cordel nasceu de uma ideia do radialista Luiz Isael, que anteriormente, já havia concluído um projeto semelhante na ACC- Academia dos Cordelistas do Crato.
 Na SPB o projeto foi bem acolhido, a presidente da SPB, Lindicássia Nascimento, foi a coordenadora, enquanto as cordelistas, Josenir Lacerda e Dalinha Catunda foram colaboradoras acompanhando o andamento dessa edição.
O projeto será concluído quando os poetas e poetisas da SPB enviarem suas décimas gravadas em áudio, podem fazer pelo celular mesmo, desde que a gravação fique boa para viabilizar a gravação do cd.
Quero parabenizar a todos pela participação dessa confraternização em versos, enaltecendo Barbalha.

Nota e fotos de Dalinha Catunda

ATIÇANDO AS MULHERES

ATIÇANDO AS MULHERES
*
DALINHA CATUNDA
Mulher, tenha amor a vida
Faça sua prevenção.
Isso é obrigação,
E não seja “malovida”,
Pois a mulher precavida
Sete vidas vai viver!
Vai amar, vai conceber,
Vai parir felicidade,
Acredite isso é verdade!
Você tem esse poder.
*
BASTINHA JOB
Tá aí Outubro Rosa
Mandando bem seu aviso
Direto,muito preciso,
Tá com tudo e não tá prosa
Co' a mulherada se entrosa,
E a todas ele conclama:
_ Mulher, se você se ama
Faça a Mamografia
Só ela dá garantia
Fuja do câncer de MAMA!
*
Fotos de Dalinha Catunda

Recado da DupliNHA

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Fui à fonte beber água


FUI A FONTE BEBER ÁGUA...
*
Fui à fonte beber água
Porém não achei meu bem
Corri com medo de cobra
Me olharam com desdém
Da carreira que eu dei
Numa pedra escorreguei
E molhei o meu sedém.
*
Fiquei com pena da cobra
Que ouviu o grito meu
Debaixo de umas folhas
A bichinha se escondeu
Sei que ficou assustada
Eu estou desconfiada
Que de medo ela morreu.
*
Uma queda não é nada
Eu não vou me aporrinhar
Voltei para cachoeira
Pois queria me banhar
Seu cair eu me levanto
Faço para oxum meu canto
Quero ver me derrubar.
*
Versos e foto de Dalinha Catunda

terça-feira, 3 de outubro de 2017

SÓ NA MOITA


SÓ NA MOITA
*
Quem não tem bala na agulha
Não carece se arriscar
Na deve mirar na presa
Sabendo que vai falhar
Pois onça com vara curta
Só doido vai cutucar.
*
Se tem coisa que não gosto
Amigo, vou lhe contar
E gente que diz que vai
Porém não sai do lugar
Nem desocupa a moita
Nem se agacha pra cagar.
*
Versos e foto de Dalinha Catunda

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

"Sou Verso Solto no Ar"











*
DALINHA CATUNDA
*
Eu sou Dalinha Catunda
Filha de Neuza e Espedito
O meu trabalho é bonito
É fonte que em mim abunda
Com dedicação profunda
Deixo a musa me emprenhar
Para meus versos gerar
E depois parir magia
“NO MUNDO DA POESIA
SOU VERSO SOLTO NO AR”
*
RAINILTON DE SIVOCA
Eu sou Rainilton Viana
Fí de Bastinha e Sivoca
E a poesia me toca
E me deixa tão bacana
Trabalho toda semana
Pra poder me sustentar
E também poder comprar
O meu pão de cada dia
"NO MUNDO DA POESIA
SOU VERSO SOLTO NO AR."      
*

Mote de Souza Filho

terça-feira, 15 de agosto de 2017

FORJANDO O VERSO


FORJANDO O VERSO
*
Com a musa em sintonia
A rima me acaricia
Para o verso eu conceber
Deixo a arte penetrar
Para que eu possa emprenhar
E ver o verso nascer.
*
Versos e foto de Dalinha Catunda

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Lampião morreu idoso num sítio em Minas Gerais

  










Lampião morreu idoso
Num sítio em Minas Gerais".
*
Depois de chegar da Lua
E ter passado por Marte,
Ele foi viver de arte
Cantando músicas na rua.
Junto com uma irmã sua
Fez strip em bacanais
Foi Momo em dois carnavais
Pelo Guaiamum Treloso..
"Lampião morreu idoso
Num sítio em Minas Gerais".
Mote: Jorge Filó.
Glosa: Ismael Gaião.

*
Foi depois que Lampião
Com “Padim Ciço” brigou
Que novo rumo tomou
Trocou de religião
No culto espantava o cão
Gritando nos rituais
Vi escrito nos anais
 Não é conto de trancoso:
"Lampião morreu idoso
Num sítio em Minas Gerais".
Glosa:Dalinha Catunda

Mote: Jorge Filó

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

PAIXÃO PELO VERSO

PAIXÃO PELO VERSO
*
Esse meu verso rimado
Eu trouxe lá do sertão
Para ficar aprumado
Botei metrificação
Para não ficar sem sal
Cumpro sempre o ritual
Rogo a musa inspiração.
*
Cuidados eu tenho sempre
Para não escorregar
Porém se eu quebrar o pé.
O remédio é consertar
Se de versos eu entendo
Procuro lendo e relendo
Erros para restaurar.
*
Atenção e paciência
Quem verseja deve ter
Pois a pressa é inimiga
De quem bem quer escrever
Vale a pena matutar
Com cada verso flertar
P’ra magia acontecer.
*
Tudo que faço na vida
Eu só faço com paixão
Cada verso é um suspiro
Que brota do coração
Para a regra não quebrar
Eu consigo me entregar
Mas sem perder a razão.
*

Versos e foto de Dalinha Catunda

domingo, 6 de agosto de 2017

Fazendo Rima


FAZENDO RIMA
*
GREGÓRIO FILOMENO
Esta Dalinha é danada
No bom sentido, pois não! 
Faz a rima improvisada
Alegrando o coração 
Mora no Rio de Janeiro
Onde passa o ano inteiro
Com saudade do sertão.
*
DALINHA CATUNDA
Gregório eu queria ser
Zefinha do Chabocão
Desafiar cabra macho
Também dizer palavrão
Fazer da língua chicote
Para açoitar um magote
De poeta fafarrão.

segunda-feira, 31 de julho de 2017

"ERA SÓ MAIS UM SILVA..."

“ERA SÓ MAIS UM SILVA...”
*
Ele “era só mais um Silva”
Que a este mundo viria,
No ventre de Claudinéia
A placenta o protegia
Por uma bala perdida
Sua mãe foi atingida
E Arthur não resistiria.
*
Mas “era só mais um Silva”
Que a violência afetava
Que a falta de segurança
A estatística aumentava
Só mais uma mãe chorando
Nesse Brasil sem comando
Na TV eu comprovava.
*
A Clebson Cosme Silva
Só resta chorar a sorte
Morte Silva ou Severina
Temos num País sem Norte
Até quando padecer
Morrer querendo viver
Sem poder fugir da morte.
*

Versos de Dalinha Catunda

domingo, 30 de julho de 2017

HOLA!


HOLA!
Um cabra não sei de onde,
No meu face apareceu.
Numa língua diferente
Hola! O cabra escreveu,
Porém eu respondi bem
Rola!!!! pra você também
E o canalha escafedeu.
*
Pra ele ficar com raiva
Naquele dito momento
Eu lasquei no comentário
A foto de um jumento
Mostrando na ocasião
Sua documentação
E dei fim no atrevimento.
*
Versos e foto Dalinha Catunda

quinta-feira, 27 de julho de 2017

RASGANDO O VÉU

*
RASGANDO O VÉU
*
Sonho é só fantasia
Não basta idealizar
Não se perca em pudores
Aprenda a se desnudar
O concreto tem magia
Que adentra e contagia
A quem se permite amar.
*

Verso e foto Dalinha Catunda

terça-feira, 25 de julho de 2017

Dalinha Catunda e Ismael Gaião

ISMAEL GAIÃO
Saudade é a pior ferida
No peito de um infeliz.
Vem numa pequena cena
Ou em algo que alguém diz.
Se inflamada dói e arde,
Mas não mostra cicatriz.
*

DALINHA CATUNDA
Minha mãe sempre dizia
Que ouviu alguém dizer:
“Que a saudade é uma dor
Mas não é dor de doer
É vontade de lembrar
Com vontade de esquecer”
*

sexta-feira, 21 de julho de 2017

SER OU NÃO SER...

SER OU NÃO SER...
*
Não sou velha nem sou nova
Não sou feia nem bonita
Porém eu sou tudo isso
E todo mundo acredita
Às vezes eu só retrato
Às vezes eu sou de fato
O que eu trago na escrita.
*

Versos e foto de Dalinha Catunda

segunda-feira, 17 de julho de 2017

É MELHOR VIVER SOZINHO DO QUE MAL ACOMPANHADO.

É MELHOR VIVER SOZINHO
DO QUE MAL ACOMPANHADO.
*
GREGÓRIO FILOMENO
Não há nada nesta vida
Que cause mais dissabor
Do que dedicar amor
A gente prostituída
Quando a alma é corrompida
O corpo é contaminado
Nunca dá bom resultado
Comprar ou vender carinho
É MELHOR VIVER SOZINHO
DO QUE MAL ACOMPANHADO.
*
DALINHA CATUNDA
Chegou cheio de exigência
Só queria ser as pregas
Não era de cumprir regras
Fui perdendo a paciência
Sua falta de decência
Fez com que fosse chutado
Quando saiu do meu lado
Fez comentário mesquinho:
É MELHOR VIVER SOZINHO

DO QUE MAL ACOMPANHADO.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

DALINHA E JESUS













DALINHA E JESUS
*
JESUS DE RITINHA
Também sou menino
Curumim brasileiro
Inquieto, arteiro
Seguindo o destino
Guri nordestino
Criança crescida
De alma atrevida
Em plena alegria
Fazendo poesia
De bem com a vida!
*
DALINHA CATUNDA
Também sei cantar
Eu sou cunhatã
Eu canto a manhã
Vendo o sol raiar
Corro a traquinar
Em meio a campina
Criança, menina,
Alegre e brejeira,
Versejo faceira
Essa é minha sina.

*

quarta-feira, 5 de julho de 2017

ÉGUA!!!!!! QUE FRIO!!!!

ÉGUA!!!! QUE FRIO!!!
*
Eu que sou filha do sol
Amo o calor do sertão
Me vejo toda embrulhada
Com frio nesta estação
Chego até sentir tremor
Debaixo do cobertor
Que não resolve a questão.
*
Boto meia boto toca
E pijama de flanela
Tranco meu apartamento
Fechando porta e janela
E antes de me deitar
Faço chá para tomar
O de maçã com canela.
*
Na hora de tomar banho
Eu só tomo banho quente
Antes de entrar no chuveiro
Eu já vou batendo dente
Se esse frio não passar
Pro meu sertão vou voltar
Não tem diabo que aguente.
*

Versos e foto de Dalinha Catunda

terça-feira, 4 de julho de 2017

BATE UMA PRA MIM?


BATE UMA PRA MIM?
*
Ele chegou ao meu lado
E pediu mais de uma vez
Bate uma para mim
E foi ficando freguês
Toda hora ele passava
A câmara me entregava
Bati muito mais de três.
*
Se já tinha o pau na mão
Para a selfie executar
Bastava esticar o braço
Sem precisar me ocupar
Mas em festa “o pau tora”
Selfie, foto a toda hora,
Haja saco pra aturar.
*
Versos e foto de Dalinha Catunda

quarta-feira, 28 de junho de 2017

RIACHO DO MEIO

RIACHO DO MEIO
*
Atravessei o portal
Que leva a felicidade
Naquele bosque encantado
Encontrei alacridade
Em goles vi a cascata
Molhando o seio da mata
 Espargindo liberdade.
*
Dia claro céu azul
A brisa a me acarinhar
No passo-a-passo da trilha
A passarada a cantar
O sonho era verdade
Entrevi felicidade
No brilho de cada olhar.
*
Vi no barulho das águas
Um canto a me embalar
O vento na samambaia
Trazia magia ao ar
Tão forte que não neguei
Para os orixás cantei
Pois estava a me encantar.
*
Confesso que fui tomada
Por grande exultação
A natureza em festa
Manifesta-se em paixão
Se a natureza conjura
O amor brota com jura
E cresce no coração.
*

Versos e foto de Dalinha Catunda