Seguidores

segunda-feira, 29 de outubro de 2018

O ARMADOR SOLITÁRIO


O ARMADOR SOLITÁRIO
*
Comprei uma rede branca
Para embalar nosso amor
E nela eu fiz um bordado
Salpicadinho de flor
Mandei quarar e lavar
Só pra nós dois chamegar
Era um sonho promissor.
*
Um armador solitário
Cansou-se de tanta espera 
No alpendre brotou flores
Anunciando a primavera
Nem cheguei armar a rede
Em seco engoli a sede
Sepultei nova quimera.
*
Dobrei a rede bonita
Dentro da mala guardei
Perante o sonho abortado
Confesso não fraquejei
Coração aventureiro
Tem sempre outro roteiro
Nisso eu jamais me enganei.
*
Versos e foto de Dalinha Catunda