Seguidores

terça-feira, 28 de junho de 2016

O MENINO QUE ATRAVESSOU O ARCO-ÍRIS

O MENINO QUE ATRAVESSOU O ARCO-ÍRIS
*
Vou contar uma história
E garanto que é verdade
Pois o fato acontecido
Deu-se na minha cidade
Com um pai ignorante
Que de maneira arrogante
Quis mostrar autoridade.
2
Juninho era diferente,
Dos meninos do lugar,
Gostava de ver a mãe
Sentadinha a costurar
Fazia casa na mão
Até pregava botão
Tinha jeito pra ajudar.
3
O jovem cresceu alegre
Repleto de animação.
Ô menino dançador!
Dizia a população,
Dançava bem de verdade
Essa era a realidade
Chamava mesmo atenção.
4
Tinha o cabelo bonito
Bem cheiroso e bem tratado
Era muito vaidoso
Mas o pai desconfiado
Achava tão diferente
Aquele faceiro ente
Por ele um dia gerado.
5
Vendo sua mãe ocupada
Corria para ajudar
Botava os pratos na mesa
No almoço e no jantar
Muito jeito ele tinha
Limpava toda cozinha
Pois gostava de arrumar.
6
Um dia Junior chegou
Com as orelhas furadas
Duas bonitas argolas
Nas orelhas penduradas
A mãe achou tão bonito...
O pai meteu logo o grito
Quis dar umas bofetadas.
7
 
Junior com a ira do pai,
Ficou muito apavorado
Até tentou falar grosso,
Mas saiu desafinado
Pois o pai enfurecido
Via bem enraivecido
O seu filho desviado.
8
Quando a mãe quis defender
Começou a desgraceira.
Pois o pai bradava irado
Um monte de baboseira
Foi a maior confusão
E começou o sermão
Que rendeu a tarde inteira.
9
Menino que usa pulseira,
Tem um destino cruel,
Hoje vai usando brincos
E acaba usando o anel
Levando vida sem lei
Termina virando gay
Não aceito este papel.
10
Juninho bem revoltado
Com aquela situação,
Pensou consigo mesmo
Vou deixar o meu rincão
Sonhava ser passarinho
Bater asas do seu ninho
Pra fugir da opressão.
11
A mãe aflita rezava
Pedindo a nosso senhor
Rogando pelo seu filho
Chorava na sua dor
Pedia com devoção
A Deus uma solução
Implorando com fervor.
12
Resolveu que seu menino
Não seria humilhado
Ele era inteligente
E foi muito bem criado
Podia ser diferente
Porém muito inteligente
E ela estava ao seu lado
13
Mãe e filho conversaram
E chegaram a conclusão
Junior tinha que partir
E deixar o seu torrão
Bem longe do seu lugar
Trabalhar e estudar
Buscando uma profissão.
14
Almejava novo mundo,
Queria crescer na vida.
Foi para cidade grande
Numa atitude atrevida
E viu tudo melhorar
Porque soube batalhar
Procurando uma saída.
15
Não demorou muito tempo
Para mostrar seu talento.
A sua fama crescia,
Também seu contentamento
Correto em sua postura
Fazendo alta costura
Crescia a cada momento
16
Seu nome estampou revista
Foi noticia no jornal
Os vestidos das dondocas
Carregavam seu aval
Desfilava e competia
Nas festas a fantasia
Em tempos de carnaval.
17
Um artista de mão cheia
Estava fadado a ser.
O sucesso se notava
Ele batalhou pra ter
Se hoje é grande estilista
Costurando para artista
Ele fez por merecer.
18
A mãe que sempre o amou
Aplaudiu o seu sucesso
O seu pai baixou a crista
Esqueceu o retrocesso
Ficou até orgulhoso
Em ter um filho famoso
E saber do seu progresso.
19
O acossado menino
Virou Gente de dinheiro
Viajou pra todo lado
Foi até ao estrangeiro
E cresceu na profissão
Teve a sua ascensão
Fama como costureiro.
20
Jamais esqueceu a mãe
O anjo da sua estrada
Pra ela dava de tudo
Não deixava faltar nada
Com ela sempre contou
Carinho nunca faltou
Daquela mãe adorada.
21
Aquele pai tão severo
Cheio de preconceito
Notando a fama do filho
Até mudou de preceito
Deixou de ser rigoroso
O dinheiro milagroso
Fez do filho um bom sujeito.
22
O dinheiro muda tudo,
Retrógrado pensamento.
Filho não importa o sexo
É fruto de sentimento
É preciso ponderar
E com lisura acatar
Evitando sofrimento.
23
Cada palavra ofensiva
Cada agressão do passado
Que vem de pai para filho
Fica no peito marcado
Se um pai se torna carrasco
A vida vira um fiasco
Para o filho amargurado.
24
Os tempos hoje são outros
Vamos prestar atenção
Em vez de execrar um filho
Melhor mesmo é dar a mão
Aceitar as diferenças
Modificar nossas crenças
Praticar compreensão.
Fim
Cordel de Dalinha Catunda

Um comentário:

Marzia Gatto disse...

Lindo cordel!Respeito as diferenças e a todos, sempre!