Seguidores

domingo, 30 de junho de 2013

"Em terra de sapo de cócoras com ele"

EM TERRA DE SAPO DE CÓCORAS COM ELE
.
Acuada viro cobra
Instigada viro o cão
O meu recado é certeiro
Gostando você ou não
Mexer comigo até pode
Mas sabe que vai dar bode
Se eu tiver minha razão.
*
Entulho no meu açude
Não deixo ninguém botar.
Minha grade foi cerrada
Pra mais fácil penetrar
Saco, garrafa e sujeira,
Mas não façam tal besteira
Pra manilha eu não vedar.
*
Eu já fui à prefeitura,
Pedir uma solução.
Espero que ela me atenda,
Ou entro eu em ação.
Soco pedra na manilha
E quero ver a matilha
Uivando na inundação.
*
Se o poder fechar os olhos
Pros desmandos de vocês
Também fará vista grossa
Ao chegar a minha vez
Vou vir com gosto de fel
Pois também sei ser cruel.
Comigo não tem talvez.
*
Eu já fiz minha denúncia,
Reclamei na prefeitura
Espero ser atendida
A lei deve ter postura
Mas se nada acontecer
Eu mesma vou resolver
Conforme nossa cultura.
*
Texto e foto de Dalinha Catunda

3 comentários:

✿ chica disse...

Muito legal, como sempre,Dalinha! Bom te ler! beijos,tudo de bom,chica

Dalinha Catunda disse...

Oi Chica,
Cheguei neste final de semana do Ceará, agora acho que vou parar um pouquinho.
Beijos,, amiga

Cidália Ferreira disse...

Muito bem.. Gostei muito de ler, parabéns.

Beijinho, e um excelente dia.

visitem:http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/2013/07/sonhos-perdidos.html#comment-form