Seguidores

domingo, 11 de agosto de 2013

SAUDADES DE MEU PAI

SAUDADES DE MEU PAI
*
Meu pai se foi em novembro
Sofri com a separação
Do pai que foi no passado
Restou a recordação
Sei que quando ele ralhava
E enérgico castigava
Cumpria a sua missão.
*
Foi um pai à moda antiga
O velho padrão seguia
E mesmo impondo respeito
Carinho distribuía
Emoção não me faltava
Quando o mesmo me abraçava
Cada vez que eu partia.
*
Uma frase bem marcante
Do meu pai sempre escutava
Quando eu tinha que partir
Abraçando-me falava:
- Seja feliz minha filha,
E eu seguia minha trilha
Mas minha voz embargava.
*
Texto e foto de Dalinha Catunda
Na foto meu pai de camisa azul entre filhos e amigos.

8 comentários:

MANUEL GOMES disse...

Dalinha Como já disse na pagina do Facebook as saudades das pessoas que partem são muitos e longas, jamais nos esquecemos delas, gostei do teu poema de homenagem ou recordações do teu Pai.
Beijos
Santa Cruz

Fred Monteiro da Cruz disse...

Uma perda recente, dessas que ainda dói na alma transforma-se com o tempo, Dalinha, numa saudade boa, numa lembrança terna daquele que sempre nos guiou e nos deu régua e compasso para seguir em frente nos caminhos difíceis dessa vida terrena. Pode ter certeza que seu pai continua velando por você.

Cidália Ferreira disse...

Sempre dificil de recuperar uma perda!!

gostei de ler
beijo
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Dalinha Catunda disse...

Olá Santa Cruz,
É dificil esquecer quem fez parte de nossa história. Quem foi nosso guia. A saudade é um modo bom de recordar.
Bjim

Dalinha Catunda disse...

Pois é Fred,
Eu tinha muito apego por meu pai. Mas com 95 anos ele cumpriu sua missão e nos deuxou de presente sua história de vida.
Meu abraço.

Dalinha Catunda disse...

Com certeza Cidália.
Mas como se diz: Deus dá o frio, conforme o cobertor. Beijinhos!!!!

Juliana Barros disse...

Deus dá o frio, conforme o cobertor. Com tooda certeza!
Se eu tivesse de escolher apenas um blog pra segui, seria o seu. Sem mais.

Alexandre Morais disse...

Passando pra deixar um cheiro. Lindo poema em homenagem a seu pai. Lindo.