Seguidores

quarta-feira, 6 de maio de 2009

À MINHA MÃE



Estas rosas foram roubadas do jardim de Tereza Mourão. Eu ofereço com todo carinho a minha mãe e todas as mães que frequentam este cantinho. O Dia das mães é só todo dia.

À Minha Mãe

Minha mãe estou distante,
Mas em mim nada mudou.
Conservo em meu coração
Lembranças do que passou.
Do lado esquerdo do peito
Guardo carinho e respeito
Que você, mãe, conquistou.

Lembro-me com saudades,
Daqueles tempos antigos.
Eu menina astuta e levada
E você brigando comigo.
Quantas surras eu levava,
E aí era que eu aprontava
Não tinha medo de castigo.

No fundo eu bem sabia,
Que tinha sua proteção.
Os castigos e as surras
Soavam como correção
Em cima desta menina
Que mesmo tão traquina,
Tinha um bom coração.

Saudades sinto muitas,
Ás vezes fico perdida.
Tentando em vão imitar
O sabor de sua comida.
E daquela boa comidinha...
Nunca mais sua Dalinha
Vai esquecer nessa vida.

Você já passou dos oitenta
Mas ainda briga pela vida.
Seus ombros estão arreados,
Anda um tanto esquecida,
Mas ainda faz versos e canta,
E por tudo isso me encanta,
Minha velhinha querida.

Hoje também sou mãe,
Tenho minhas obrigações.
Somente agora entendo
As suas preocupações.
Pois pelos filhos que pari
Já chorei e também sorri
Em tempos de emoções.

4 comentários:

Victor Gil disse...

Querida amiga Dalinha.
Tens toda a razão, todos os dias são Dias da Mãe. Também tenho a minha. Já vai com 87 anos, mas continuo a pensar todos os dias nela. E continua a roubar rosas. São para uma boa causa.
Beijos
Victor Gil

Jean Kleber Mattos disse...

Bela homenagem à sua mãe, Dalinha. Ela merece. Como acontece com todas as mães, via de regra nos são dadas por Deus para serem o nosso refrigério nesta vida de resgates. A relação não é harmônica em todos os casos mas na imensa maioria das vezes o aprendizado do amor vem com elas. Bjs.

Ricardo Aragão disse...

Amiga Dalinha,

Que bela homenagem você fez à sua mãezinha. Parabéns pelos versos e pela enorme habilidade que você tem pra fazer versos.

Habilidade que me inspirou e hoje, iniciando nesse rumo das rimas, atribuo a "culpa" exclusivamente a você.

Um forte abraço.
Ricardo

Ana Maria disse...

Olá amiga, que bom que você veio.
Agradeço pela visita, espero vc novamente.
Coloquei seu link nos meus favoritos.
Tornei-me sua seguidora.
Beijinhos!