Seguidores

terça-feira, 3 de novembro de 2009

CAJUEIROS DE MINHA TERRA



Texto e fotogafias de Dalinha Catunda

CAJUEIROS DE MINHA TERRA

Cajueiros de minha terra.
Cajueiros do meu sertão.
Logo que chega outubro,
Carrega que cai no chão.
Alegrando a passarada,
Que na copa faz zoada,
Vendo farta alimentação.

Com Cajus de minha terra,
Faço suco, doce e gostosuras.
E ainda como com feijão,
Nesses tempos de fartura.
A castanha fica guardada,
Pra depois comer assada
Como manda nossa cultura.

Bonitos e bem saborosos,
Cajus vermelhos e amarelos,
Coloridos e apetitosos,
Naturalmente tão belos,
Como que me lambuzo,
Confesso que até abuso
Sem temer nódoa me melo.

Acompanhando uma cachaça,
Amigo não me leve a mal...
Um cajuzinho bem fatiado,
É um tira-gosto sem igual.
Conheço desde menina,
Essa moda nordestina,
Que no sertão é habitual.


Amigos,
Voltei trazendo um pouco de minha Ipueiras, para vocês.
Obrigada a todos que empurraram a porteira e entraram em minha casa mesmo em minha ausência.
Meu abraço carinhoso a todos vocês.
Dalinha Catunda

10 comentários:

Chica disse...

Que lindo! Bom retorno e vieste com essa delícia!beijos,chica

Airton Soares - "AS" disse...

Ai meu Deus! haja saliva
"Vendo farta alimentação"
Ah! se eu fosse um conviva
Convertia-me num glutão
Minha boca, minha gengiva
Doidamente à deriva
Chupando caju de montão. [AS]

------
Feliz retorno, amiga e confreira.

Victor Gil disse...

Querida amiga Dalinha.
Um bom regresso ao nosso convívio. já fazia falta a tua rima de expressão popular. A facilidade que tens, de lidar com estes temas, é deveras maravilhosa. E depois saiem assim, estas coisas simples e belas, que nos transportam, mesmo sem conhecer, para o interior do teu sertão.
Beijos amiga.
Bom regresso.
Victor Gil

Ana Paula Marinho disse...

Dalinha, como eu sei exatamente o que você quis retratar neste texto. Confesso que adooro caju! E como sempre você surpreende com seus escritos, eles tem todo um jeito diferente e cativante de serem rimados. É como se estivéssemos (e estamos) lendo uma ótima literatura Nordestina! Região a que tanto adoro, pena não ter a oportunidade de conhecer. Ah, e fico feliz por sua volta!!! Como sempre... adorei! Beijão.

Valter Montani disse...

Gostei muito do seu comentário no meu blog e fiz um cartão para você utilizando-o, veja aqui:
http://2.bp.blogspot.com/_Gf0c_CFUTuU/SvFnttUc_mI/AAAAAAAAD3s/OqAfgv2URBY/s1600/dalinhacard.jpg

bjs Dalinha, grato pela amizade e parabéns pelos escritos.

João Alberto disse...

Do cajú eu também faço
Uma bebida divina,
Saborosa e clarificada,
No Piauí a mais apreciada,
Que é a nossa CAJUÍNA.

Bom retorno Dalinha.
Grande abraço.

Maria Emília disse...

Que bom que você voltou, Dalinha. Já estávamos sentindo a sua falta. Obrigada pelas palavras que deixou no talqualsou.
Um grande beijinho,
Maria Emília

SAM disse...

Dalinhaaaaaaaaaaaaaaaa!Feliz regresso, amiga! Ai meu santinho...Quando Edison ver este poema vai ficar " aguado" rsrs. Lindas fotos e poema, amiga.

Demorei a vir bater na sua porteira amiga porque também fiquei bastante afastada da net. As chuvas aqui me deixaram com a conexão péssima. Postava, respondia na medida do possível porque o que fazia em 40 mts, tinha que fazer em horas. Viajei este feriado e na segunda a noite estava postando no Sam e uma queda de luz boba me deixou sem pc. Voltou e nao entrava nos blogs rsrs. A bruxa andou solta! kkkkkkkkkkkkkk.

Olha, passou o tempo e nem te enviei as fotos! Envio hoje ainda!


Menina, mas fazia tempo que não passava horas tão descontraídas, com prosa boa, " causos" e gargalhadas, tudo regado as delícias dos quitutes de Dalinha como foi na ABLC! Fomos tão bem acolhidos que voltamos porque tinha que ser hahahhahahahha. Coloquei as fotos no meu orkut e o pessoal ficou maravilhado! Foi maravilhoso, Dalinha! E não perco mais!


Beijos, amiga.

Úrsula Avner disse...

Oi Dalinha, amo caju... Tenho muita vontade de conhecer a cidade de Natal -RN onde existe o maior cajueiro do mundo... Obrigada por suas amáveis palavras em meu cantinho. Bj.

Lobo disse...

Nunca comi cajus...Pelo menos desses que tão bem retratas...
Parece que saboreei ao ler es tuas palavras...
Agora deixaste-me com água na boca!...

Falaste de castanhas... Adoro!...

Um Beijinho a Ti, Menina que escreve tão bem a tua Terra!...