Seguidores

quinta-feira, 5 de maio de 2011

CARTA A MINHA MÃE


CARTA A MINHA MÃE

Minha querida mãezinha.
Que mora em meu coração
Aqui nestas poucas linhas
Relembro com emoção.
O tempo bom ao seu lado
Singela recordação.
*
Feito em panela de ferro
O seu arroz temperado.
Com queijo bem derretido,
Aquilo era um pecado
Eu brigava pra raspar
Da panela o pregado.
*
A gostosa malassada,
A tal cabeça de galo,
A comidinha de mãe,
Que era o meu regalo...
E a farinha de pipoca?
Com ela ainda me entalo!
*
Lembro você costurando,
Pra vestir suas mocinhas,
E sempre nos ensinando
Chuleados e bainhas.
E nos bailes da cidade,
Bailávamos como rainhas.
*                                                 
Mulher atualizada
Pra nossa felicidade.
Nossas vestimentas tinham
O tom da modernidade.
Shorts e mine-saias
Estreamos na cidade.
*
Namorar não foi problema,
Tínhamos a permissão.
A sua cumplicidade,
Tirava-nos da aflição.
Pois tendo pai bem severo
Era você a salvação.
*
A nossa maior riqueza
Era nossa alegria.
E com certa liberdade,
Dona vida nos sorria
E você, minha mãe,
Era nossa garantia.
*
Poderia falar mais.
Pois vai longe nossa história,
Mas quero dizer apenas.
Você foi e é nossa gloria,
E responsável direta
Por nossa luta e vitória.
*
Aqui fico mãe querida,
Desejando de coração
Que cada filho seu tenha,
Minha mesma gratidão
E lhe apóiem na velhice
Estendendo-lhe a mão.
*
 Imagem: Virtuallost.com
Texto: Dalinha Catunda
Visite também:
www.cordeldesaia.blogspot.com
www.rosariocordel.blogspot.com





12 comentários:

✿ chica disse...

Muito linda carta cordel à tua mãe!!1Um beijo,tudo de bom,chica

RetroMomentos disse...

Uau... Que belo! Arrasou ;)

Parabéns por seu talento. bjs

Gell disse...

Muito lindo ameiii! abraçoss!!

Blog de Ana Marly Jacobino disse...

CARINHOSA DALINHA: FIZ UM PRESENTE PARA VOCÊ LÁ NO BLOG E FIZEMOS UMA HOMENAGEM PARA A NOSSA QUERIDA MÉL (EM MEMÓRIA).
http://agendaculturalpiracicabana.blogspot.com/2011/05/uma-simples-homenagem.html
ABRAÇOS DESTA CAIPIRACICABANA MARLY DE OLIVEIRA JACOBINO

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Olha, amiga, o perfil é bem semelhante ao da Dona Mazé, muita paracença, chega bateu a sordade...

Que linda carta, Dalinha, amor filial é assim, verdadeiro,e basta.

Feliz noite, do dia da mães...
Boa e produtiva semana,
beijinhos

Tais Luso disse...

Gostei, amiga, aqui está parte de tua vida feliz e com a cumplicidade de tua mãe.
Lindo este carinho.
Grande beijo
Tais Luso

João Ananias disse...

Que beleza Dalinha!
O amor de mãe é insubstituível, único e verdadeiro. Jamais o filho vai encontrar algo igual ou que de alguma forma possa comparar.
Grande abraço.

Mgomes - Santa Cruz disse...

Dalinha: Linda carta em forma de poema para a tua mãe, mãe é sempre mãe e é dificil nos esquecer-mos a nossa mãe.
Beijos
Santa Cruz

Sandra Magalhães Salgado disse...

Linda homenagem , Dalinha.

Francisco Domingues disse...

Olá, Dalinha!
Mãe, realmente, deixa tantas saudades a quem já a não tem! E faz tanto "jeito" a quem ainda tem o prazer da sua presença!
P.S.: Se tiver tempo, dê uma saltada ao meu blog. Falei da ressurreição. Em breve, irei falar de Fátima. Cativa-a?
Saudações cordiais!

Graça Pereira disse...

Um carta cheia de amor e ternura por aquela Mulher que foi mais importante nas nossas vidas. Gostei muito.
Beijo
Graça

Armando Morais disse...

Minha querida amiga poetisa adorei ler aqui seus cordéis, muito bem inspirado, me vejo dentro de cada história aqui narrada parabéns mais uma vez. Beijos Armando Morais.