Seguidores

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Cordel na Feira da Providência

Dalinha Catunda

CORDEL NA FEIRA DA PROVIDÊNCIA
*
Na Feira da Providência
Fazendo belo papel,
Um espaço especial.
Conseguiu nosso cordel,
Nosso folheto enxerido
Que por lá será vendido
Bem exposto em painel.
*
O cordel que sempre esteve,
Nas feiras do meu sertão,
Migrou com os nordestinos
Ganhou nome, ganhou chão,
E deve ao cabra da peste
Ter saído do Nordeste,
Para encantar a nação.
*
Vender cordel numa feira,
É tarefa emocionante,
Eu que escrevo meu cordel
E desta arte sou amante,
Fazer parte desta história
Na verdade é uma glória
Para esta retirante.
*
O cordel está na feira,
No rádio e televisão,
Virou tema de novela
Conquistou esta nação,
Já virou coisa de bamba
Pois em escola de samba,
Chega como inovação.
*
Navegando na internet
“Bateu asas do sertão”
É moda também tendência
É primor e evolução
Na Feira da Providência
Eu vou prestar reverência
Ao cordel, minha paixão
*
 A Feira da Providência começa dia 30 de novembro e vai até o dia 04 de dezembro. Será no Rio Centro no Rio de Janeiro

Texto e foto de Dalinha Catunda
Visite:
www.cordeldesaia.blogspot.com
www.rosarioecordel.blogspot.com

6 comentários:

✿ chica disse...

Lindo cordel e isso não é novidade! Linda foto! beijos,ótimo dia,chica


e essa Feira deve ser legal!

Victor Gil disse...

Cordel assim, só há uma pessoa que escreve. Dalinha, uma das minhas amigas mais queridas e a minha cordelista favorita.
Meu beijo e meu carinho de sempre.
Victor Gil

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Estava sempre presente, à Feira da Previdência. Levei alunos meus, da UNI-Rio, em atividade de extensão, na década de 1990.

Essa poesia está linda...
...seu retrato, mais ainda!!!
Sucesso...sempre!
Um XÊRO!

Rodrigues disse...

muito bom! sou maranhense e gosto muito de literatura de cordel. acesse meu blog www.cordelparatodos.blogspot.com e confira.

Guibson Medeiros disse...

Falar da literatura
Tem que ter sabedoria
O cordel é uma cultura
Que é feita com maestria
Você tem a desenvoltura
Que parece partitura
Refletindo a poesia.

Guibson Medeiros.

Rosário Pinto disse...

Cara amiga, não resisto, deixo aqui minha homenagem. O cordel ganhando asas, pelo mundo navegando. Armando-se em redes, de barbante e de satélites, ui! ui!

O cordel sempre esteve
Nas feiras lá do sertão.
Mas anda ganhando asas
Voando lá do torrão.
Tá no Rio de Janeiro,
Causando uma sensação

No espaço São Cristóvão
E também na Providência.
Esticando seu barbante,
Pousando com excelência.
Amigo! Vá visitar
A Feira da Providência.

Lá ganhou lugar cativo
Próximo ano estará lá
Exibindo as culturas
As daqui e as de lá
O barbante virou rede
Misturando lá e cá
(Rosário Pinto)