Seguidores

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

SOU ASSIM


SOU ASSIM
*
Não peço licença à musa
Quando quero poetar.
Na hora que o santo arreia
Meto pau a registrar
Minha simples poesia,
Onde não vejo heresia
Em meu modo de atuar.
*
Tenho dois nomes de santa,
Que me foi dado na pia.
O segundo é Lourdes
O primeiro é Maria.
Mas pra fugir desta linha
Preferi usar Dalinha,
Que é a cara desta cria.
*
Da minha mãe eu herdei
O sobrenome Aragão,
O herdado de meu pai
Causa certa confusão
Mesmo rimando com bunda
Gosto do nome Catunda
E uso com satisfação.
*
Não curto meias palavras
Meu pavio é meio curto,
Mesmo assim sou atinada
Por pouco, não entro em surto.
Não sou de mandar recado
Não sei o que é pecado
E de viver não me furto.
*
Foto e texto de Dalinha Catunda

Um comentário:

Gracita disse...

Oi Dalinha querida,
É maravilhoso ver alguém se amando e tendo orgulho de si, das suas origens e dizer tudo isso publicamente. Você é uma guerreira arretada.
Parabéns amiga por mais este maravilhoso cordel.
Beijinhos no coração,
Gracita