Seguidores

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

CRIANÇA ONTEM E HOJE


 CRIANÇA ONTEM E HOJE
*
Tudo era tão diferente
Nos meus tempos de criança
As brincadeiras antigas
Eu guardo bem na lembrança
Nas brincadeiras de roda
Eu cirandava na dança.
*
Brinquei de bola de gude,
Amarelinha e peteca,
Junto com minhas amigas
Brinquei muito de boneca,
De trisca e esconde-esconde,
Sempre fui muito sapeca.
*
Hoje a coisa está mudada
Não tem movimentação
Menino não joga bola
E nem solta mais pião,
Seu mundo é a internet
Sua vida a televisão.
*
texto e foto de Dalinha Catunda

6 comentários:

Fred Monteiro da Cruz disse...

A internet avicia
deixa o menino abestado
zambeta. de bucho grande
e com os óio arregalado
pois num brinca mais na rua
fica do mundo afastado

***

passa o dia e entra a noite
e o menino não levanta
senta o rabo na cadeira
mais parece um pé de planta
se deixar, morre de fome
murcha, seca e se encanta

***

antigamente o que eu via
era menino contente
jogando bola de gude
futebol especialmente
a garotada brincava
hoje está tudo doente

edumanes disse...

Você de lembra
Das brincadeiras de criança
Eram de outra maneira
A caminha de esperança.

Hoje são diferentes
Mas sempre são brincadeiras
De crianças inocentes

Brincam sem maldade
Ás vezes sorrindo
Outras vezes chorando
Que o possam fazer em liberdade!

Como antigamente
Já não se joga o pião
Está tudo diferente
Mas que não lhes falte o pão!

Muito lindo o seu poema, e verdadeiro.
Boa quinta-feira para você,
amiga Dalinha,
um abraço
Eduardo.

Daniel Costa disse...

Dalinha

Do bonito poema se podia dizer: Recodar é viver, reviver outros tempos de criança, em que aqui também de jogava o piáo, a concha, berlinde, a o bola feita de uma meia cheia de trapos etc. Era nos tempos aida não se sonhava em televisão realmente. Deixas testemunho para esta geração.
Beijos

Dalinha Catunda disse...

Olá Fred,
O que mais me preocupa é a falta de movimentação destas crianças, que devem viver ao vivo e a cores e não através de uma tela.
*
Criança tem que correr,
Criança deve brincar,
Pode ver televisão
Na internet navegar
Porém tudo com limite
A diversidade permite,
A arte de intercalar.

Dalinha Catunda disse...

Olá Eduardo,
É sempre um prazer tê-lo aqui, fazendo comentários e deixando sua opinião em versos.
Meu abraço,
Dalinha

Dalinha Catunda disse...

Caro Daniel,
Sei que os tempos mudaram, que as bricadeiras são outros e por não ter acesso a brinquedos caros om tecnologias,exercitávamos nossa criatividade, fazendo bonecas de pano, bola de meias, panelinhas de barro e por aí vai...
Obrigada pelo comentário
Beijos!