Seguidores

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

A DERROTA DO VAQUEIRO



A DERROTA DO VAQUEIRO

*
Jurei que não te queria,
Era mais pura invenção
No íntimo só eu sabia
O tamanho da paixão
Foi duro fugir do laço
Lançado por tua mão.
*
Com certeza eu já sabia
Qual seria meu papel
De laçada a dominada.
No começo flor e mel
E mais uma que montava
Na sela do teu corcel.
*
Eu não caí em teu laço,
Nessa tal competição.
Pois nem sempre o vaqueiro
Derruba uma rês no chão.
Tem rês tinhosa e arisca
Que derruba o campeão.
*
Texto de Dalinha Catunda
Foto retirada do site selec.mt.gov.br/arquivos/A32d381260dd1ed3

2 comentários:

✿ chica disse...

rsssss...adorei,DALINHA!!eLE NÃO PODE ACHAR QUE VAI DERRUBAR TOOOOODAS,RSSR BEIJOS E ESTÁ LÁ, ADOREI!CHICA

Verânia Aguiar disse...

gostei! bj