Seguidores

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

MINHA CASINHA AMARELA


Texto e Foto de Dalinha Catunda

MINHA CASINHA AMARELA

Amigo, você está vendo,
Esta casinha amarela?
Muitos anos eu passei
Feliz, morando nela.
Minha mãe já está velhinha
Mas vive na mesma casinha
E meu pai vive com ela.

Foi ali que dona Neuza,
Criou oito filhos dela.
Assoprando seu fogão,
Atiçando as panelas.
Apesar das dificuldades,
Era bem maior a felicidade
Do que as ditas mazelas.

Meu pai Expedito Catunda,
Seveeeero cuidava das crias.
Só mulheres, eram três,
E todas três eram Maria
Rosina, Dalinha e Déia,
E quando entravam na peia,
A vizinhança inteira ouvia.

Os Homens eram cinco,
E eu achava tão bonito,
A casa cheia de irmãos:
Eduardo, Cesar e Dito,
E ainda tinha no time,
Tony Aragão e Nelito.

Confesso sinto saudades,
Da casa, hoje amarela.
É minha casa da infância.
Mocidade eu passei nela.
Hoje sou somente visita
E o pranto turva-me a vista,
Ao ver minha casa singela.

Minha casinha singela,
Não sai do meu coração.
È uma casinha Amarela
Encravada lá no sertão.
Na cidade de Ipueiras
Tá minha morada primeira
Meu recanto de Emoção.

Amigo, você esta vendo
Esta mulher no portão?
De braços abertos pra vida,
É a poeta Neuza Aragão!
Esta casinha é tão bela,
Porque na frente tem ela,
Feito um anjo guardião.

19 comentários:

Victor Gil disse...

Querida amiga Dalinha.

Linda casinha amarela,
casa de poetas eternos.
Nasceste lá, dentro dela,
encravada no sertão,
D. Neuza no fogão,
Sr. Expedito cuidando as crias,
oito irmãos com três Marias,
só pode ser uma casa bela,
essa tal casa amarela,
que trazes no coração.

Meu beijo e meu carinho para ti e para todos os teus.
Victor Gil

Maria Emília disse...

Beleza, Dalinha. Que poema tão singelo e tão bonito à sua casinha amarela, aos seus pais e todos os irmãos, tantos! Que maravilha.
Um grande beijinho e obrigada pelas belos textos, recordações e ensinamentos que escreve para nós.
Maria Emília

Júnior Bonfim disse...

Olá, Dalinha:

Parabéns pelo poema!

Um louvor à beleza singela de um típico lar nordestino.

Na paz,

Júnior Bonfim

joaquim da rocha disse...

Vi sua casinha amarela
É uma coisinha bela,
Como se fosse uma ilha
Abriga uma linda Familia
E com esta amizade profunda
Só podia ser a familia Catunda.

Parabens, Dalinha

Pedro Monteiro disse...

No carnaval da poesia
Com o lirismo na fala,
Assim, Dalinha Catunda,
Por sua verdade embala
O pensamento de quem
Desfilar em sua ala.

João Poeta disse...

Que maravilha de post
Lembrando pais e irmãos
Se eu pudesse voltaria
Às minhas origens também
Fotografando tudo que via
A infância reviver então...
Mas tenho algumas memórias
De casas que já morei
Junto com os meus pais
Mudamos pra aqui e pra lá
Levando as galinhas e porcos
E bujigangas nos balaios a sobrá.
Tenho dito!

Helinha disse...

Ai, amiga...

Estou aqui, toda arrepiada...

Fui lendo e me emocionando... e quando cheguei na última frase, um arrepio percorreu meu corpo todo...

Achei linda a casinha amarela e mais linda ainda aquela senhora no portão, com aquele jeito de quem está sempre pronta a receber as pessoas que ali chegam...

Essa casinha, amiga, tem um valor tão imenso que não há dinheiro no mundo capaz de pagar!!

Amei, como sempre!!

Beijo bem grande!!

^^

João Alberto disse...

Olá Dalinha,
Linda homenagem. A sua casinha amarela é uma beleza, com designer típico das construções nordestina.
Grande abraço.

Rodrigo Alves disse...

Muito bonito

Jordann Fel. disse...

Olá. Cheguei ao acaso no seu blog e devo confessar que fiquei maravilhado com tal escrita.
Que delícia de blog !
Apresentar-me-ei para ti. Meu nome é Jordann moro em Portugal porém sou brasileiro. Tenho 16 anos e muita imaginação.
Mais uma vez parabéns !

Marcia Rodrigues disse...

Muito bom o cordel.

Adorei seu blog.

Parabéns!

Abraços

Eu e Alque disse...

Olá amiga Dalinha, que bela recordação de sua casinha amarela, desceveu com saudade e emoção o prazer que viveu nela. Parabéns!
Abraços, Cris!!

Ana Maria disse...

Linda casa amarela, belas recordações.
Bjim amiga!

AFRICA EM POESIA disse...

SAUDADES

SORRISO LINDO


Sorriso lindo...
Sorriso belo...
É alegria dos grandes...
É o sorriso dos meninos...
Que são netos...
É o sorriso...
Dos que seguem...
O seu caminho...
E têm o sorriso...
Mais lindo...
Do mundo!...

LILI LARANJO

samnio disse...

gostei muito do seu poema. e da sua casinha amarela. Parabéns.


http://palavrassemjeito.blogspot.com

rouxinol de Bernardim disse...

A casinha amarela sempre tão bela...

Linda homenagem a uma coisa tão poética...

Alvaro Oliveira disse...

Olá amiga Dalinha

Tem meu selinho de 5000 visitas para si em meu blog, na barra lateral.
Convido-a a passar por lá para o receber. Espero que aceite!

Beijinhos

Alvaro

Chica disse...

Linda casinha,Dalinha! Um beijo,linda semana,chica

Anônimo disse...

DE LEILA
PARA DALINHA

QUERIDA AMIGA, É LINDA A CASINHA AMARELA ONDE EXPEDITO E NEUZA AINDA MORAM.
VOCÊ É BEM ROMÂNTICA, CONSTATO, MAS ISSO NÃO É ROMANTISMO PURO. É, SIM, A SAUDADE DE UMA FAMÍLIA SIMPLES E FELIZ.

GRANDE ABRAÇO!