Seguidores

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

21 ANOS SEM O ETERNO REI DO BAIÃO


O ETERNO REI DO BAIÃO
.
Já faz mais de vinte anos
Que o velho Lua morreu.
Da vida dos nordestinos
Nunca desapareceu.
Pois em cada canção
Cantou com o coração
O mundo que ele viveu.
.
E o Rei do Baião vive
Na boca de sua gente.
Tudo que ele gravou
Canta-se no presente.
Foi a voz do retirante,
Dos que estavam distante,
Foi o canto do ausente!
.
Luiz Gonzaga cantou,
Os costumes do sertão
Cantou beatas e santos,
Padre Cícero Romão,
Cantou o povo sua fé
O Santo de Canindé,
Cantou até oração.
.
Cantou também paro o papa
Cantou o cruel Lampião,
Lendas de cangaceiros
Que habitavam o sertão.
Cantou a mulher rendeira
E Sá Marica parteira
Costumes e tradição.
.
Cantou do vate Catulo,
Que no nome tem Paixão,
E digo com toda certeza
Que encantou seu torrão,
Com a mais bela cantiga
Que amor a terra instiga
Chamada Luar do Sertão.
.
Lua mostrou ao Brasil
Nossa nação nordestina.
Falou de chuva e de seca
Contando a nossa sina.
Cantou tristeza e alegria
Dum povo que contagia
Pois a ser forte ensina.
.
Cantou a fauna e a flora.
Do nosso seco sertão.
Mostrou o mundo inteiro
O amor pelo seu chão.
Asa branca contagiou,
E o povo todo cantou,
Este hino ao Sertão.
.
O querido rei caboclo.
Aclamado rei do baião.
Viverá eternamente
Em nossa recordação.
E será eternizado
Pois sempre será lembrado
Por toda nossa nação.
.
Quando o fole da sanfona,
Gemer em qualquer lugar.
E um forró pé-de-serra
O sanfoneiro tocar
Lembrarei de Gonzagão,
O nosso rei do Baião,
Majestade Singular!

.
Texto: Dalinha Catunda
Imagem da internet

8 comentários:

Mgomes - Santa Cruz disse...

Oi Dalinha: Linda homenagem ao rei do Baião, adorei imenso, Mas sabes Baião é o nome da Terra a onde eo nasci, cá tambem se cantava o Baião de Ana é uma canção popular.
Um beijo
Santa Cruz

Victor Gil disse...

Olá Dalinha.
Desculpa a minha ausência. Não foi por esquecimento. Se existe pessoa que nunca me vou esquecer é de ti. Mas tenho andado por outras paragens internautas, mas a saudade começa apertar e vou tentar andar mais perto dos meus amigos bloguistas e da minha área, que é a poesia e a fotografia.
Linda homenagem ao Rei Luís Gonzaga, cantor quer também por aqui é conhecido. Não tanto como no passado, mas apesar de tudo, pessoas como eu que gostam da música popular, apreciam muito.
Beijos minha querida Dalinha.
Victor Gil

Valter Montani disse...

Luiz Gonzaga, esse cabra faz falta, assim como o seu filho Gonzaguinha, dois grandes compositores e interpretes da música popular brasileira de verdade.bjs Dalinha, fica com Deus pois és muito querida por este poeta que lhe escreve.
PS.: mesmo que não fosse querida por mim, mereceria ficar do Deus, pois eu não sou o dono da verdade mas tu és fomentadora da bondade. fui

Chica disse...

Que linda tua homemagem e tão merecida ao nosso Rei do baião.beijos,tua interação linda está lá!chica

Licínio Filho disse...

Oi Dalinha,
Lembrar o velho Lua é sempre emocionante, seus versos expressam a genilidade deste mestre da cultura popular brasileira.
Sempre que ouço a sua música lembro-me de minha infância em Belo Horizonte (não estranhe,vivo em Pitangui há 11 anos, mas sou belo horizontino).
Na rua onde fui criado existia o velho Xisto, que todo início de noite sentava-se no banco do passeio de sua casa e toca em uma sanfona de 8 baixos músicas de Luiz Gonzaga enquanto a criançada brincava na rua...Em minha casa meu pai sempre tinha uma fita cassete do Rei do Baião, minha mãe sempre cantarolava as músicas de Lua que tocavam no rádio enquanto ela exercia seus afazeres domésticos.
Terei sempre a música de Luiz Gonzaga comigo.
Linda e justa homenagem.
Abraço.

Rosário Pinto disse...

Ô miga,

Você é mesmo uma grande poeta, daquelas de "musa cheia", aliás, transbordante de talendo, emoção e sensibilidade. PARABÉNS!!!!

Que homenagem mais linda!
Tú fizeste ao nosso Lua !
A sina do Assum Preto
Não há remédio que exclua
Uma vida assim marcada
Deixa nossa alma nua.

Rio, 04/08/2010

João Alberto disse...

Fantástica homenagem Dalinha. O sucesso de Gonzagão jamais será esquecido pelo povo nordestino, ou melhor, pelo povo brasileiro.
Forte abraço.

Léo Morato disse...

Dalinha, que bela surpresa
As músicas de Luiz Gonzaga...
Lindas por natureza
Imagem do sertão
Numa poesia-canção
Harmoniza o xote, xaxado e baião
Ainda influencia toda uma geração.