Seguidores

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

MEU PAI, MEU REI


Espedito Catunda, meu pai

MEU PAI MEU REI!
*
Parabéns querido pai
Por sua longevidade.
Por essa sua lucidez
Contrariando a idade.
*
Parabéns querido pai,
Por ter tanta teimosia,
Por cair e se levantar
Isso me causa alegria.
*
Filhos, netos e bisnetos,
A sua sólida construção.
E você é o maior exemplo
Para toda essa geração.
*
Orgulho de ser sua filha,
Eternamente eu terei.
Dentro do meu coração,
Você será sempre rei.
*
Texto:Dalinha Catunda
Foto: Acervo de Dalinha

12 comentários:

Chica disse...

Linda e emocionante homenagem ao teu pai!um beijo,tudo de bom,chica

Mgomes - Santa Cruz disse...

Oi Dalinha: Linda Homenagem ao paizinho adorei eu já não tenho pais nem sogros, ja partiram tem no meu blog um escrito que tem o titulo Partiram é dedicados aos meus pais e meus sogros. Menina eu não sei a letra do Baião da Ana que cá era cantado por ranchos falcoloricos. Minha terra se chama Baião é uma vila que pertence a cidade do Porto Norte de Portugal.
Um beijo
Santa Cruz

Eu e Alque disse...

Olá amiga Dalinha, belo visual no blog. Parabéns por tão linda homenagem a seu pais, voc~e sempre a nos abrilhantar com seus versos. Abraços, Cris e Alque.

Licínio Filho disse...

Oi Dalinha,
os versos em homenagem ao seu pai são lindos.Neste sábado irei à B.Hz. rever meus pais, aproveitar para colocar a conversa em dia e matar saudades.
Abraço.

Tais Luso de Carvalho disse...

Que lindo, Dalinha... Homenagem cheia de ternura, gratidão e admiração. O que queremos mais sendo pais?

beijão, amiga!
tais luso

Rosário Pinto disse...

Amiga,
PARABÉNS pela linda homenagem feita a seu pai. A foto está maravilhosa. Nossos pais sempre merece todas as homenagens que pudérmos fazer...
Um beijo da amiga e parceira,
Rosário Pinto

SAM disse...

Dalinha, uma bela e justa homenagem! Parabéns por estes belos versos feitos com tanta emoção.



Carinhoso beijo e um feliz domingo.

Tereza Mourao disse...

Dalinha querida, bela homenagem ao seu pai, o querido Expedito de quem tenho uma profunda admiraçao, e que espero reve-lo em outubro na festa de nossa querida Ipueiras. Nao sei fazer versos mas tambem fiz uma pequena homenagem ao meu pai no orkut, faceebook e no blog amigos de ipueiras e copiarei aqui para vc.

Pai querido, lhe amo muito e obrigada por ter me dado a oportunidade de nesta vida vir como sua filha. E mesmo tendo convivido com vc tão pouco tempo, só até os meus 17 anos, valeu muito a pena todo seu exemplo de vida e dignidade, e foi o que procurei passar para os meus filhos, Inácio e Delano. Um dia nos encontraremos em outra vida. Paz e Luz sempre. Bjos no seu coração e aceite uma braçada de flores, especialmente as margaridas recheada de agradecimento e muito amor. FELIZ DIA DOS PAIS.
Resgatar a memória de meu pai, a pessoa mais importante na minha vida, foi o
começo para descobrir realmente quem sou e agradecer a Deus os pais que tive
nesta vida. E quando penso em política, dignidade, solidariedade, amor é na
figura de meu pai TIM MOURÃO que me espelho. Veja no Google intitulado "UM LUGAR
NA HISTÓRIA PARA TIM MOURÃO" ou pelo link
http://www.grupos.com.br/blog/ipueiras/permalink/3920.html

SAM disse...

Boa noite, Dalinha!

Estava lendo sobre a plenária que se realizará na Paraiba no Cordel de Saia com Edison e quando voltei ao Sam li seu comentário rsrs. Estamos sontonizadas. Edison não tinha lido este poema. Eis o comentário dele:


Como sempre, a Dalinha escreve com muita poesia e uma visão profunda de tudo que a vida nos dá. A homenagem ao seu pai é um cântico de amor a todos os pais.

Beijos nossos, Dalinha.

Montani II disse...

Linda homenagem Dalinha, parabéns! bjs e bom dia

Chica disse...

Voltei pra agradecer e dizer que tua linda interação está lá.beijos,chica

Ricardo Aragão disse...

Tive a imensa honra de conhecer o seu Expedito Catunda em um aniversário de minha amiga e madrinha Dalinha Catunda, em sua terra natal, Ipueiras. A empolgação foi tanta com a quantidade de histórias que aquele simpático senhor contava, e ainda por cima, com riqueza de detalhes, que pedi permissão para voltar outro dia apenas para batermos um papo. O que fiz dias depois levando comigo meus tios e minha mãe, que ouviram e questionaram o seu Expedito acerca de nossoa antepassados que moravam naquela aprazível cidade. Ele falava de meu bisavô João Tomaz Lourenço e de meus avós, Auri Lourenço e Antônio Marintis. Senti muito orgulho em ouvir tantas coisas de minha gente contadas por um senhor que conviveu com essas pessoas, a maioria das quais conheço apenas por fotografia. Ao seu Expedido, meu eterno apreço. À amiga Dalinha, minha gratidão por aquele maravilhos convite que me proporcionou tão importantes momentos.