Seguidores

quinta-feira, 27 de setembro de 2007

O Menino do Mirador




O Menino do Mirador

Gonçalo foi um menino que aprendeu o oficio de ferreiro muito cedo com seu pai. Com ele aprendeu também a arte de tocar violão. Pobre, porém feliz, assim vivia Gonçalo no seu velho Mirador, município de Ipueiras.

Criado no mato, apaixonado por árvores e pássaros, chorou longe de sua terra natal quando atrás de trabalho teve que se ausentar. Sentia saudades dos velhos tempos , do feijão com toucinho e rapadura, do seu cavalo de estimação e das serenatas que fazia ao luar.

Quantas noites em claro... relembrando suas caminhadas no mato e repetindo para si o nome de cada árvore, fruta e animal que fizeram parte de sua vida no interior.

E lembrava da nambu e do caburé que cantavam de noite.Lembrava das caçadas aonde o patuá vinha cheio de preá, tatu, peba e mambira, e não esquecia o canto do cupido, do sabiá, do canário, do galo campina e tantos mais.

Sentia saudades das frutas silvestres que alegraram seu paladar de menino do interior, maracujá,canapúm,,trapiá,, genipapo entre tantas outras que guardou em sua lembrança.

E como esquecer as velhas árvores que sombreavam seus caminhos, ameixa, pereiro branco, Jucá, mulungú, mororó e o angico de resina dourada.

Como as árvores, os pássaros e os bichos ele também era raiz daquele chão, fruto daquela terra que da cabeça não lhe saia.

Viu a beleza do Rio de Janeiro, ganhou dinheiro em Brasília, mas tudo que ele queria era voltar a sua terra, tocar valsas em seu violão, beber um trago com os amigos e ouvir conversa fiada nas bodegas, como fazia antigamente.

Era um vitorioso, ganhar o mundo era ganhar desenvoltura, capacidade. De um simples pedreiro, Gonçalo passou a mestre de obra. Mas ainda era pouco para aquele que fora um menino sonhador. Era hora de voltar e abraçar sua terra e ser abraçado por ela.

E voltou ao velho e tão sonhado ninho. Casou, teve filhos, e governou Ipueiras durante seis anos, onde deixou seu nome escrito nas páginas da história ipueirense: Gonçalo Erasmo de Medeiros, foi prefeito de Ipueiras.

5 comentários:

Dalinha Catunda disse...

Amigos,
Eu poderia falar da trajetória política e dos feitos de Gonçalo Medeiros como prefeito de Ipueiras.
Porém, me tocou muito mais a história do menino pobre que venceu na vida e se tornou prefeito de sua cidade.
Dia 28 de setembro fará um ano de sua passagem.

Anônimo disse...

Dalinha muita sensibilidade da sua parte em homenagear o ex-prefeito Gonçalo Erasmo de Medeiros, na verdade foi um homem que nunca perdeu sua humildade e alguém cujo destino lhe reservou a sorte de ser um grande prefeito de Ipueiras.


Bérgson Frota

Jean Kleber Mattos disse...

Dalinha, e assim os grandes líderes de Ipueiras vão sendo homenageados. Este seu texto, de grande sensibilidade, presta uma justa homenagem ao admirável ser humano Gonçalo Medeiros, enriquecendo a literatura ipueirense. Parabéns.

Tereza Mourão disse...

Parabéns Dalinha, mais uma vez vc se supera nos relatos biográficos dos grandes homens que fizeram a história de Ipueiras.

Anônimo disse...

Sra. Dalinha, me chamo Zélia Medeiros, sou de Fortaleza, e é com grande satisfação que digo que o Sr. Gonçalo Medeiros foi meu avô e o sonho de minha mãe Zuleide Medeiros é conhecer alguém de sua família, algum parente, amigo, alguma notícia, que ela nunca teve. Hoje ela tem 73 anos. Ela qdo criança foi dada para irmão dele, o Sr. Simão Medeiros q a trouxe para Fortaleza qdo casou com a Sra. Prazeres e a registrou como filha. Se a Sra. souber de algum parente que queira entrar em contato, ficaríamos muito felizes. Contato: zeliamedeiros@yahoo.com.br / 85 -8833 0405 /9978 2666. Obrigada. Felicidades!! Fiquem com Deus.