Seguidores

quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

ANO QUE ENTRA


Foto: Acervo do:www.cantinhodadalinha.blogspot.com

ANO QUE ENTRA

Esse ano não me pergunte “com que roupa eu vou?”.
Não obedecerei às cores sugeridas, não farei simpatias visando um ano melhor.
Iemanjá que me perdoe, mas, flores não levarei. O banho de mar da sexta feira, sem medo esquecerei. Me entregarei ao acaso e nele apostarei.

Não quero entrar o ano, devedora de promessas que nunca cumprirei. Vou deixar a vida me guiar e nela navegarei. Quero entrar de peito aberto, pisando firme no chão, acatando o que me reserva os novos tempos que virão.

Se vier dor chorarei e com o pranto lavarei minha alma. Se vier alegrias sorrirei, gargalharei animada. Provarei com a mesma nobreza do mel e do fel, a mim destinado.
Eu quero as surpresas da vida, não castelos desenhados, que qualquer vento desfaz. Não quero a esperança que não morre, mas certamente caduca entristecendo nossas almas.

Não quero viver com o olhar perdido em sonhos que não se realizam jamais, quero viver realidades que pareçam sonhos vividos e muito mais satisfaz

Na verdade não vislumbrarei o famoso Ano Novo, viverei o Ano Que Entra continuação do passado com suas alegrias suas tristezas e intensamente vivido, jamais imaginado.

13 comentários:

Anônimo disse...

Dalinha, há uma filosofia de vida que reza ser a natureza da mesma como um grande mar de ondas altas e baixas, pórem um mesmo mar, cabe a nós, com nosso barco compreender e aceitar as alegrias e tristezas deste infinito oceano,não nos enganando com delimitações e datas, mas perseverando sempre. Saudemos o Ano Novo mas tenhamos como diz seu texto sempre uma resposta firme as tristezas e alegrias, pois é delas que a vida é bodada. Parabéns.

Bérgson Frota

Anônimo disse...

... que a vida é bordada.

Bérgson Frota

Tereza Mourão disse...

Dalinha, isto sim é viver em equilibrio. Belo texto amiga e é
a sua cara. Parabéns e feliz continuação de seus objetivos no ano que se inicia. Forte abraço e até breve
Tereza Mourão

Dalinha Catunda disse...

Amigos, essa foto não é no paraiso, mas fica bem pertinho. É Nova Fatima, municipio de Ipueiras. Uma barragem no alto da serra dos côcos. Lugar maravilhoso, onde você se encanta com a natureza em toda sua pujança.
É com essa imagem e meus dizeres que Desejo um Feliz Ano que Entra a todos vocês.Estou de saida para o Nordeste.
Saudações ipueirense a todos

Izelda Maia disse...

Caríssima Dalinha,
obrigada pelas visitas e versos deixados ao córrego de areia, saiba que é importante para mim sua presença em minha casa de poesias...

Grande e fraterno abraço,
feliz ano novo, que 2008 lhe possibilite muitas realizações,
muita paz e prosperidade.

Jean Kleber Mattos disse...

Sábia reflexão. Nada como ser diferente. Pensar, refletir, aceitar-se, querer progredir. Seu texto, Dalinha nos fala de tudo isso. Parabéns e obrigado.

Lurdinha disse...

Dalinha achei lindo sua foto captando forças especiais do universo. Muita luz e paz neste ano que inicia-se.

Leona disse...

Amiga adorei seu texto, a vida deve ser vivida como você diz e faz.Beijos.

CresceNet disse...

Gostei muito desse post e seu blog é muito interessante, vou passar por aqui sempre =) Depois dá uma passada lá no meu site, que é sobre o CresceNet, espero que goste. O endereço dele é http://www.provedorcrescenet.com . Um abraço.

O Profeta disse...

Fascinantemente simples esta tua forma de viver a vida...


Doce beijo

Ellen disse...

Dalinha, te desejo um 2008 repleto de boas venturas. Com carinho imwenso, Elenice

O Profeta disse...

Passei para te deixar um beijinho...

Herculano disse...

Dalinha,instigador seu texto. Lúdico e transgressor das pseudo-convenções que nos são impostas desde nossa gênese. Não afirmo que tenha um que do ceticismo machadiano, mas é profundissimamente realista. E o realismo nos deixa bem antenados. Drummond certamente concordaria contigo. Fraterno e respeitoso abraço.

ALEXANDRE HERCULANO