Seguidores

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

APENAS NEBULOSA


NEBULOSA DO ANEL
Imagem: boock.wordpress.com/.../

APENAS NEBULOSA

Hoje me chama estrela,
Porém não fico orgulhosa.
Porque no fundo bem sei,
Que sou apenas nebulosa.

Sou nuvem de gás e poeira,
Vagando na imensidão.
Estrela algum dia fui,
Bem antes da explosão.

Após juntar os meus cacos,
No espaço celeste perdidos
Voltarei a ser uma estrela,
Mas não me faça pedidos.

11 comentários:

Victor Gil disse...

Oi Dalinha.
Nublosa? Ó mulher tu és uma estrela, mas uma estrela bem visivel.
Lindos estes teus poemas.
Beijos amiga
Victor Gil

SAM disse...

Um poema forte e belo! Mas se no poema figura-se nebulosa pela explosão, na leitura brilha como uma grandeestrela, poetisa!


Carinhoso beijo, Dalinha.

Ana Paula Marinho disse...

Como não gostar de um encanto desses? Não poderia ser melhor, mais uma vez me encantei com a pureza de palavras. Como sou amante de estrelas, não poderia deixar de gostar desta também! Está de parabéns.. Grande beijo.

João Alberto disse...

Nebulosa está a milhões de anos luz da terra, mas, a estrela Dalinha está brilhando na terra e sempre nos presenteando com a beleza de seus poemas.
Grande abraço.

São disse...

Nebulosa, Dalinha, você não é, não!

É uma super star!!

Um abraço bem grande, amiga.

Fernando Santos (Chana) disse...

Oi Dalinha, belo poema...Espectacular....
Beijos

Chica disse...

O bom é que sempre conseguimos juntar os caquinhos,rsrsr.LINDO! beijos,tudo de bom,chica

Valter Montani disse...

Dalinha,

que lindo poema! somente que é uma estrela como você não precisa
ficar lembrando a todos da intensidade de seu brilho.
Esse brilho nada apagará, bjs e bom dia

AFRICA EM POESIA disse...

DALINHA

NÃO SABES COMO FICO FELIZ POR TE VER AQUI...

já começo a escrever mas...com calma...Preciso da mão .
completamente restabelecida pois regresso à escola dia 6 de outubro e tenho que estar como eu gosto... a 100%.

Estes dias pintei muito...
Foi para "esquecer"...estive a colocar no meu blog de Arte...

um beijo grande

Úrsula Avner disse...

Oi Dalinha, um encanto de poesia em versos ritmicos, melodiosos. Um mimo ! Obrigada por seu carinho. Bj.

Bérgson Frota disse...

Uma modéstia que caracateriza seu jeito de ser, parabéns Dalinha, um belo poema.