Seguidores

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

SERTANEJA, SIM SENHOR!


 Dalinha Catunda,
SERTANEJA, SIM SENHOR!


Sabia que era arisco

Aquele fogoso alazão.

Resolvi correr o risco,

Sem medo de ir ao chão.

Peguei chicote e espora

Montei no bicho na hora

Sem medo ou indecisão.

*

Ele quis titubear,

Mas cutuquei do meu jeito.

Peguei firme nas rédeas,

Pois me achei no direito.

E sob o meu comando

Obedecendo meu mando,

Ele foi quase perfeito...

*

Inda quis se rebelar,

Mas de nada adiantou.

De seus movimentos bruscos

Minha mão se encarregou.

Fui feliz na maratona,

Mostrei quem era a dona.

E ele se conformou.

*

Do que compro e pago caro,

Retorno eu sempre quero.

A manha, birra e coice,

De fato eu não tolero.

Do cavalo eu não caio

Só tenho medo de raio,

No resto eu acelero.

*

Bicho que eu não domino,

Confesso não dou guarida,

O meu sangue nordestino

É que me faz aguerrida.

Eu só não sou cangaceira,

Por ser metida a faceira,

Porém sou bem atrevida.
*
Texto de Dalinha Catunda
Foto: acervo do blog
Visite também: www.cordeldesaia.blogspot.com

7 comentários:

RetroMomentos disse...

Belo poema!

Victor Gil disse...

Querida amiga Dalinha.
Pois! Também não admira, com toda essa tua energia, que só de te olhar, vejo que tens de verdade, não há bicho que te meta medo, né? rsrsrsrsr.....
Quanto à poesia, só pode ser feita por uma mulher da tua sensibilidade, que vive com sentimento, o seu povo e a sua terra.
Beijos minha boa amiga. É sempre um prazer ler as tuas palavras.
Victor Gil

Chica disse...

Maravilha de garra,força e atrevimento dessa sertaneja, com orgulho de ser!
Lindo!

beijos,tua interação linda está lá.

Obrigado!beijos,chica

Anne Lieri disse...

Dalinha,mulher forte,nordestina,que mostra a que veio nessa expressiva e ritmada poesia!Adorei!Bjs,

CESAR CRUZ disse...

Porreta, Dalinha!

Só um detalhe: um leitor despercebido, vendo a sua foto antes de começar a ler, esse estilo mulher-forte, depois que avança nas estrofes, lá em certo momento pode pensar: será o marido dela? ahahaha!

bjão paulista
Cesar

Mgomes - Santa Cruz disse...

Dalinha; Lindo ou belo poema, mas cavalo eu não quero montar é bicho que eu não sei lidar.
Beijos
Santa Cruz

Ana Maria disse...

Belíssimo poema!
Sua foto está maravilhosa!
Beijinhos minha amiga!