Seguidores

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

DONA DA NOITE




DONA DA NOITE

Final de tarde,
Sol se sumindo...
Esmaeeeece, coclhiiiiiila...
É a noite! Vem vindo...

Um véu negro tinge o infinito,
Mas não tarda aparecer,
Estrelas piscando em bando
No céu a resplandecer.

O lume intermitente,
Lá no alto é louvação,
A rainha que desponta
Prateando a escuridão.

Cheia de encanto e magia,
Com seu manto prateado,
Surge trazendo São Jorge
Em seu cavalo alado.

A senhora dona da noite
Ocupa seu trono agora.
E reinará soberana
Até o raiar da aurora

Texto:Dalinha Catunda

Imagem:mteresabr.wordpress.com/2008/12/07/lua/

10 comentários:

Chica disse...

A linda lua sempre inspirando!beijos,tudo de bom,chica

Alvaro Oliveira disse...

OLÁ AMIGA DALINHA

BELO POEMA À DONA DA NOITE-LUA-
SEMPRE CHEIA DE ENCANTO E MAGIA,
COM SEU MANTO PRATEADO, INSPIRANDO OS POETAS.
ADOREI, AMIGA!

BEIJINHOS

ALVARO

SAM disse...

Dalinha o universo é lindo, perfeito. Mas quando retratado em belos versos é ainda maior a emoção.

Carinhoso beijo, amiga!

João Poeta disse...

Boa noite, Dalinha!
É o que eu lhe digo agora.
Lá fora está chovendo
Mas breve vai pingar a aurora.

O céu tornou-se negro
Há trovoada em grandeza
O vento sibila ao longe
É a música da natureza.

Se o perigo fica iminente
Eu que tenho fé, sou crente
Nesses momentos difíceis
A invocação de Deus é patente.

Rogo por todos nós
Do oriente ao ocidente
A onde aparece a lua
Ou o sol está ardente.

Hoje, a lua, de mim fugiu
Não consigo alcançá-la no olhar
Mas fico esperando por ela
Até querer vir me abraçar.
Tenho dito!

Rafael Castellar das Neves disse...

Muito gostoso esses fins de tarde...e vc colocou de uma forma muito tranquila...dá para ver e amolecer!

Victor Gil disse...

Oi minha querida amiga Dalinha.
Como sabes é sempre um prazer vir aqui ler a simplicidade da tua poesia. A Dona da Noite ou será que é a Dona Noite.
Adoro a noite. Acho que me inspira mais que o dia. Adoro tudo o que é melancólico e as noites normalmente são melancólicas.
Beijos minha boa amiga
Victor Gil

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Dalinha, belo poema...Espectacular....
Beijos

Genny Xavier disse...

Querida Dalinha,
Teu poema me fez sentir as sensações profundas das horas do anoitecer, das horas do ocaso...um céu de estrelas intangíveis, uma lua soberana, deusa e rainha...
Agradeço ainda sua visita em meu “Baú”...volte sempre...
Beijos.
Genny Xavier

Ana Paula Marinho disse...

Olá Dalinha, veio primeiramente agradecer por seus elogios.
E depois dizer, que adorei a poesia!
Tudo a ver comigo, falando do pôr-do-sol, da noite... enfim. Perfeita!
Parabéns... beijão!
Eu vou, mas volto...

Valter Montani disse...

Amiga Dalinha,

Muito obrigado pelo carinho e amizade dedicada à mim e meu espaço durante todo o ano. Desejo boas festa à você e toda família e um ano novo repleto de realizações, bjs