Seguidores

domingo, 13 de dezembro de 2009

LEMBRANÇAS DOS VELHOS NATAIS



LEMBRANÇAS DOS VELHOS NATAIS


Nasci e me criei no Ceará e lá, vivi por muito tempo singelos e criativos natais.
Tínhamos a ceia, com galinhas assadas, peru, bolos e iguarias típicas do sertão.

Nossa árvore de natal era feita de garrancho, recoberta com papel crepom, e com tiras de algodão por sobre os galhos. Os enfeites eram caixas de fósforo recobertas com cédulas prateadas de cigarro e com papel de presente. Caixas maiores também eram cobertas e colocadas ao pé da árvore fingindo ser presente. A árvore era enfiada numa lata de querosene de 20 devidamente recoberta e preparada para a ocasião. E não poderia faltar uma estrela prateada, com calda no alto da árvore. O importante: toda família participava da confecção da árvore.


O que mais me atraia eram as visitas ao presépio da igreja matriz que era montado e aberto a população. Imenso! Lindo! Não me cansava de adorar. Encantava-me com os animais em volta do Deus menino. Ainda hoje chamo de lapinha meu inesquecível presépio.


Na missa do galo eu me sentia no céu. Eram mágico os rituais. Os cânticos de natal, os castiçais e suas velas, o turibulo com incensos espalhando uma fumaça cheirosa dentro da igreja e clima angelical me remetia realmente ao céu. Era divino e eu ficava em estado de graça mesmo.

Os presentes eram detalhes. Bonecas de pano para as meninas e carrinhos de madeiras para os meninos. Mas a nossa felicidade era tão grande que não cabia dentro de nós. Explodiam nas calçadas onde meninos e meninas se amontoavam para viver o nascimento da alegria.

Identifico- com esse Natal. O natal de minha Ipueiras, do meu Ceará Não com essa imitação de Natal europeu com neves e luxos que vejo nos shoppings das grandes cidades onde o papai Noel abafa a imagem de Jesus Cristo o principal personagem.


Texto: Dalinha Catunda
Imagem:leandrohubo.files.wordpress.com/2006/12/st_ag...

9 comentários:

José Ramón disse...

Um blog muito interessante.

Greetings from a criatividade ea imaginação das fotos Jose Ramon

joaquim da rocha disse...

MINHA AMIGA POETISA ESPECIAL
ESTE TAMBEM É O MEU NATAL,
ONDE A FÉ E A TRADIÇÃO
NOS LEVA A SONHAR NOVAMENTE
SER CRIANÇA E ADOLESCENTE
SEM ESQUECER QUE DA FICÇÃO.

AQUI NO NOSSO CHAVAL
TUDO É MUITO REAL,
CULTIVAMOS A TRADIÇÃO
DAQUELE NATAL CABLOCO
E SEM DINHEIRO OU COM POUCO
FAZEMOS AQUELE FESTÃO.

FELIZ NATAL PARA VOCÊ E TODA SUA FAMILIA, QUE AS BENEFICAS DE JESUS CRISTO ESTEJA PROTEGENDO SEU LAR E SUA FAMILIA.

José Ramón disse...

Dalinha gracias por pasar por
( PASTELERIA MUNDO DE FANTASIA )
y por tus comentarios
Saludos

Felipe disse...

Dalinha, muito obrigado pela visita ao meu blog pelas palavras tão gentis. Agora serei mais um frequentador deste cantinho na web. Feliz natal!

João Poeta disse...

Alegrias do natal
Natais de nossas memórias
Que guadamos na nossa alma
Revivendo o passado, afinal.

Na nossa simplicidade
Tudo era festa total
Na confecção do presépio
À Árvore de natal.

Mamãe assava um pernil
Dourado, quem nunca viu?
Cheirava enchendo a casa
Vazia de coisa vil.

A família reunida
Para saudarmos Jeus
No seu aniversário
Longe de morrer na cruz.

Jesus é o nosso mestre
O messias, o salvador
Que eternizamos contentes
Pois ele é a luz do amor.
Tenho dito!

João Alberto disse...

Olá Dalinha,
Um belo texto, esse também é meu natal.
Hoje o significado do Natal é mais comercial do que religioso, muitos esqueceram ou perderam a fé em Deus.
Que Deus, em sua infinita bondade, abençoe e encha de paz nossos corações na noite de Natal.
Boas Festas..
Beijo no coração.

Anjo Perdido disse...

ola amiga gosto do teu blog :)
gosto da tua escrita :)
amiga sabes a cada ano que passa o natal desvanesse isso porque hj em dia temos tudo coisa que antes nao era assim anseiava-mos o dia para comer uma comida boa ter uns doces e receber as prendas ( isso quando havia ) hj em dia o natal é mais matrialismo ja nem os cedros cheiram como antes nem as arvores tem o mesmo encanto... é pena os tempos de hj estarem assim :( tinha-mos pouco mas era-mos mais felizes :)
jinhos amiga :)
kaileena

Maria Emília disse...

Faço minhas as suas palavras. Dalinha, não me identifico de todo com os Natais modernos.
um grande beijinho,
Maria Emília

Pedro Monteiro disse...

No dia de hoje e sempre,
Seja mais um voluntário
Ajudando a quem precisa,
Do jeito mais solidário!
Se tudo é dádiva de Deus
O feito vai para os seus
Registros de prontuário.

Felicidades poetisa! E que 2010, seja mais um garimpo repleto de cacarecos e preciosidades, porém, que por nossa sabedoria possamos escolher só o que é bom.
Abraços