Seguidores

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

NOS TRILHOS DA EMOÇÃO


NOS TRILHOS DA EMOÇÃO

Amores são passageiros,
Acomodados em vagões.
Alguns seguem viagem
Menosprezando estações.

Outros descem ligeiro,
Até na primeira parada!
Pois lhes falta bagagem
Pra prosseguir a jornada.

Nos trilhos que corre vida
Nunca fui de perder trem,
Nem de ficar acomodada,
Esperando quem não vem.

Cada vez que o trem apita,
Sacoleja o meu coração.
Trilhando a linha da vida
Ergo a bandeira da emoção.

Dalinha Catunda

11 comentários:

rouxinol de Bernardim disse...

A bandeira da emoção sempre lá no topo, sempre agitada pelo vento liberdade, acariciada pelo sol da afectividade, enfim, importa preservar a dignidade sem a tornar cativa...

Viver é assim uma simbiose, uma miscelânea de sentimentos, uma exaltação permanente.

Parabéns Dalinha, sinto o mesmo, estamos no mesmo diapasão, viajamos no mesmo trem: o da liberdade, da emoção, do afecto, da sensibilidade estética, do apego ao telúrico...

Victor Gil disse...

Olá amiga Dalinha.
Lindo, sereno, apaixonante, sensivel, emocionante. Um auto-retrato poético, da tua maneira de ser e estar na vida. Uma mulher do campo, que ama o campo, a terra e o seu sitio. Eu também sou um pouco assim.
Beijos querida amiga.
Victor Gil

Maria Emília disse...

E aí vamos nós, pouca terra, pouca terra, de bandeira erguida. Bonito Dalinha, gostei.
Um grande beijinho,
Maria Emília

São disse...

Uma graça , este seu poema, uma graça mesmo!

Lindo, amei.

Beijinhos.

Kleber Catunda disse...

Dalinha, quando a emoção se sobrepoê ao tempo, fica nítido
o amor à uma época dos sonhos que se misturavam a realidade da vida na busca do eu melhor.
Parabéns.

Kleber Catunda.

João Poeta disse...

Mineiro não perde o trem
Nem fica a ver navios
Come quietinho num canto
Sem esquentar o pavio...

Feliz é quem pode levar
Um amor, sem sair dos trilhos
Numa viagem de sonhos
No vai e vem de estribilhos

Infeliz é quem fica à espera
De um encontro fatal
Com a sua alma-gêmea
Isto não é racional!

Mas quem espera, sempre alcança
Eis o dito popular
Quem busca um amor verdadeiro
Não perde por esperar.

Veja, amiga, Dalinha
O que pude escrever pra ti
Se estou seguindo esse blog
É porque fico feliz aqui.
Abraços.
João

Cantodomeucordel disse...

E nos presenteou com uma poesia singela e tocante. Parabéns Dalinha1

poético abraço de Gilbamar

Ana Maria disse...

Amiga, somos movidos por amores que ficam e amores passageiros.
Nos trilhos da emoção, vamos caminhando, ora ganhando, ora perdendo. Faz parte da vida.
Beijinhos!

SAM disse...

Dalinha, belíssimo! Também sou passageira deste trem. E que bom! Beijos, amiga

Rosário Pinto disse...

Este trem que sacoleja
Balançando a emoçâo
Quem espera sempre alcança
Um amor de perdição
Camilo Castelo dizia
E... só faz bem ao coração

(Deixo aqui para você
Um beijos no coração)
Rosário

Rosário Pinto disse...

Neste trem que sacoleja
Trazendo muita emoção
Dizia Camilo Castelo
É um amor de perdição
Todos nós o conhecemos
No fundo do coração
Bjos,
Rosário