Seguidores

terça-feira, 10 de março de 2009

LEI DA SOBREVIVÊNCIA



LEI DA SOBREVIVÊNCIA

Dalinha Catunda

Brigo com meus demônios,
Rezo para os meus santos,
Aborto o que seria
O nascimento de um pranto.

A prendi a desatar,
O nó preso na garganta.
Com astúcia ou ironia,
Encaro qualquer afronta.

Calar não é consentir,
No meu modo de pensar,
É espreitar a presa com calma,
Para o bote não falhar.

Sou cobra que não ataca,
Mas aprendi a me defender.
Se não pisar no meu calo,
Não pico também você.

Oferecer a outra face?
Nem em outra encarnação!
Pago na mesma moeda,
Só aguardo a ocasião.


Imagem:arcanjo_rafael.zip.net/images/solidao.jpg

2 comentários:

acb disse...

Parabéns Dalinha!
Seu Blog é um sucesso.
artculturalbrasil

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Adorei!