Seguidores

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

CARTA AO MEU PAI


Foto de Dalinha Catunda
Poema publicado no Jornal O Povo de Fortaleza-Ce

Carta ao meu pai

Meu pai não fique triste,
Porque o tempo passou.
Você fez seu melhor
Pelos filhos que criou.
É dever de cada um de nós
Sempre ser seu protetor.

Quisera eu fazer mais,
Contudo moro distante.
Longe de minha cidade
Sou sua filha retirante.
Quisera guiar seus passos
Como os meus guiara antes.

Não pense que lhe esqueci,
Não quero em você tristeza.
Você é minha segurança,
Minha maior fortaleza.
Sua presente fragilidade
Passa ser minha fraqueza.

A idade lhe permite
Uma teimosia atroz.
Quer viver do seu jeito,
Não como gostaríamos nós.
Mas estou sempre ligada,
Para atender sua voz.

Não se esqueça de deixar
Ligado o seu celular.
Estarei sempre ligando
Pra saber como você está.
Saiba que em meu coração
Eterno será seu lugar.

Nessa cartinha que faço
Usando rimas e versos,
A sua benção meu pai,
Como aprendi eu lhe peço.
Beijando a sua mão
Com carinho me despeço.

5 comentários:

Tereza Mourao disse...

Dalinha, querida amiga, esta sua cartinha em forma de versos a seu pai, me deixou muito comovida. Foi uma declaração de amor filial, respeito e admiração. Parabèns ao Expedido pelo seu dia e a todos os pais encarnados e desencarnados incluindo o meu que DEUS os proteja sempre
Tereza Mourâo

Anônimo disse...

Dalinha,
A poesia é uma das expressões mais sublimes da alma. Quando dedicamos aos nossos entes queridos se transforma numa espécie de oração e chega mais rápido aos ouvidos de DEUS. Parabéns ao Sr. Expedito e aos PAIS de nossa amada terra.

ALEXANDRE HERCULANO
FORTALEZA/IPUEIRAS-CE

educAÇÂO EMPRESARIAL disse...

ISA CATUNDA, BAIÃO-DE-DOIS, TROVA DO POLÍTICO, O PATRIARCA...

... Cada post, encharcado de lirismo e consciência crítica, atesta o ferrete da fé e a re-volta curta e grossa da contundente cordelista que canta e encanta o mundo poético, no revelar, sem pejo, de seu Cantinho virtual. É bom vir aqui. Pra lá de bom!

Bérgson Frota disse...

Uma tocante poesia, carta em verso. Trabalho que mostra não só o carinho paterno da poetisa como seu talento em versificar com beleza sentimentos mais nobres.

Dalinha Catunda disse...

Meus amigos,
Obrigada por prestigiarem sempre esse blog.
Um abraço,
Dalinha Catunda