Seguidores

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

O CAMINHO DAS LENDAS


Foto: bp0.blogger.com/.../s320/854227-large.jpg
320 x 212 - 13k

O Caminho das Lendas

Uma pedra no caminho,
Havia e eu nem liguei.
Feito moleque de rua,
Por cima dela pulei.
Filha do vento e dos morros,
Com arte não escorreguei.

Não nasci nas Minas Gerais.
Nem tão pouco em Itabira.
Minha terra é Ipueiras,
Lá pras bandas da Macambira.
Sem ligar pros desencontros,
Cansei de dançar quadrilha.

O mel que adoçou meu leite,
Foi feito por jandaíra.
Peixe de água doce,
Comi de piaba a traíra.
Corri de vaca valente,
O que aguçou minha ira.

Brinquei de virar mãe-d’água,
Em meu pequeno torrão.
Debruçava e me olhava,
Nas águas de um cacimbão.
Era a Uiara sonhada,
Habitando minha ilusão.

Filha do vento e dos morros,
Não menos filha da lua.
Na madrugada encantada,
Na fonte banhei-me nua,
E foi assim que nasceu,
A minha história e a tua.

O banho na madrugada.
Passos de dança ao luar.
Um cavalheiro... oh, acaso!
Uma dama, o Eros, um par.
Clima, química, e encaixe,
Uma lenda a se desenhar.

10 comentários:

Carlos Roberto Lemberg disse...

Minha querida Poetisa e amiga
Dalinha

Estive visitando o Blog, não só retribuindo a visita que efetuou ao meu Site, mas também para poder ler mais excelentes textos que você no oferta com todo aquele amor e carinho que emanam do teu coração.
Beijos no coração

Tereza Mourão disse...

Carlos Drumond viu uma pedra no caminho, e dela fez uma poesia, nossa musa Dalinha viu uma pedra no caminho, e peralta como sempre nela pulou passou por muitas e muitas aventuras e hoje nos brinda com estes lindos versos. Nem sei mais o que dizer amiga, só que vc é 1000 e que Deus te ilumine sempre. Sua fã incondicional e conterrânea. Teresinha Mourão

Bérgson Frota disse...

Dalinha o que posso dizer é que esta foi a mais bela poesia de sua autoria que lí. O título já diz muito e é muito inspirador.Parabéns mais uma vez por enriquecer-nos, afinal é contemplando coisas belas que nos tornamos melhores.

Jean Kleber Mattos disse...

Dalinha. Além de ser uma de suas memoráveis criações, o "Caminho das Lendas" no seu blog está com um Lay-out irretorquível. Quando publicamos no Suaveolens coloquei a entrada o "balão do Ipú" como se adentrássemos no ambiente de mistério da Serra Grande.Mas essa sua figura com o azul onírico está excelente.Valorizou muito. Parabéns.

Odete Aragão disse...

Dalinha, fiquei contente em ver seu comentário no meu blog. Seus escritos também são lindíssimos! Te adoro de coração. Tia Odete.

Antunes Ferreira disse...

Dalinha da linha
Gosto deste teu blogue. Tem coisas lindas. Textos bem escritos e sinceros. O que é sobre o teu Pai comoveu-me. Continua, que vais bem. Olha, minha querida: não tinha visto o teu IMEILE. Já o tenho. E já te meto no meu msn.
Vai ao meu travessa no mínimo duas vezes por dia! É uma ordem, rssssss
Qjs em quantidades industriais.
... e não te esqueças do me(a)u livro.

titofarpas disse...

Lindo texto.
Boa escolha...
Bom fim de semana

Anônimo disse...

Estimada Dalinha,

"O CAMINHO DAS LENDAS" é uma das mais belas e expressivas poesias que já li. Seu versejar é encantador e envolvente. A musicalidade é eufônica e acalma nossa alma sertaneja. Se inspirar em Drummond foi de um engenho só. Cada vez mais aprecio sua poética e me torno seu fã.

Respeitoso abraço.

ALEXANDRE HERCULANO

Ricardo Aragão disse...

Dalinha, obrigado por visitar meu blog que, a propósito, criei ontem e ainda estou aprendendo a inserir algumas coisas, como inserir um link para meu e-mail, por exemplo. Você saberia? Vou visitar seu blog agora, mas de antemão, já estou gostando pois admiro muito a literatura de cordel e até já me arrisquei em escrever algumas sextilhas que, em breve inserirei no blog.

Um abraço.
Ricardo Aragão

Dalinha Catunda disse...

Amigos,
Quero agradecer a todos vocês que passam por aqui prestigiando meu blog.
Fico muito feliz em reunir familia, amigos, novos amigos, nesse espaço que criei sem grandes pretenções, mas que, tem me dado um grande retorno.
Meu abraço carinhoso a todos.
Dalinha