Seguidores

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

MEU BAIO


Foto e Cavalo de Luiz Garcia. Amazona, Dalinha.

Meu Baio

Ele olhou nos meus olhos,
Nos olhos dele olhei.
Que era xucro, eu sabia,
Não tive medo, montei.
Dos seus movimentos bruscos,
O ritmo acompanhei.
Encantava-me a impetuosidade.
Não caí, nem escorreguei..
Bem mais do que oito segundos,
Em cima do bruto fiquei.
Hoje não pode me ver,
Que já relincha pra mim,
Pois sabe que no meu pasto,
E dele o melhor capim

5 comentários:

lili laranjo disse...

Bonito...
parabéns

O Profeta disse...

Frágil e palpitante luz
A beleza é feita de ternos murmúrios
A voz quebra a quietude do silêncio
A chuva leva a terra ao encontro dos rios

Não há fracassos no sonho
Caminhei nas nuvens para te ver do alto
Abri os braços ao relâmpago
Desci à terra, senti nos pés o frio basalto


Vem comigo escolher o caminho


Mágico beijo

Anônimo disse...

Adorei o "cavalo DO Luiz Garcia" HAHAHAHAHAHAHA BJS

Bérgson Frota disse...

Bela poesia.

Jean Kleber Mattos disse...

Dalinha, gostei muito dos versos e também da foto. Muito bons mesmo!